As fintechs de meios de pagamento receberam US$ 120 milhões em investimentos ao longo dos últimos cinco anos, segundo o Estadão.

É o que mostra estudo da empresa de inovação aberta Distrito, com apoio da consultoria KPMG. Apenas neste ano, os aportes nas novatas brasileiras foram de US$ 67 milhões.

Do total, US$ 66 milhões foi para apenas uma empresa: a Superlógica, startup que recentemente ingressou no segmento financeiro com uma conta digital para administradoras de condomínios.

Essa conta fica no PJ Bank, que recebeu aporte do fundo de private equity Warburg Pincus.

O crescimento dos investimentos no setor vem sendo impulsionado pelo compartilhamento de informações trazidos pelo open banking.

Também pelo Pix, solução de pagamentos instantâneos do Banco Central, que será lançado oficialmente em novembro.

Fintechs de meios de pagamento receberam investimentos de US$ 120 mi em 5 anos

Fintech: pandemia

Recentemente, clientes de um banco digital reclamaram do “sumiço” do dinheiro, criando dúvidas sobre a segurança dos bancos digitais.

Segundo o professor da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap) e especialista em Administração Financeira e Finanças Pessoais, Márcio Wu, essas instituições são, sim, tão seguras quanto às tradicionais.

A pandemia da Covid-19 acelerou a migração de boa parte dos negócios para o mundo digital e isso não é diferente para os bancos.

Braço digital

Muitas instituições financeiras tradicionais estão, inclusive, fortalecendo o braço digital pra fazer frente aos bancos exclusivamente digitais, que vêm crescendo e avançando muito rapidamente.

Na opinião do especialista, os bancos digitais são seguros porque sofrem a mesma supervisão do Banco Central, semelhante aos bancos tradicionais.

O especialista ressalta, porém, que instituições menores não contam com toda a solidez financeira do capital que grandes bancos contam.

Além da solidez financeira, tem a confiança dos correntistas. Isso se reflete na remuneração de alguns títulos, no CDB (Certificado de Depósito Bancário), por exemplo, que esses bancos digitais emitem.

CDB’s

A remuneração dos CDB’s dos bancos digitais geralmente oferece retornos maiores do que aqueles dos cincos maiores bancos do Brasil, essa diferença na remuneração está intimamente relacionada com a questão do risco da instituição.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: