Banco PAN alcança 10 milhões de clientes e tem lucro líquido de R$190 mi no 1º tri

O Banco PAN (BPAN4) teve lucro líquido de R$ 190 milhões no primeiro trimestre de 2021, alta de 12% em relação ao mesmo período do ano anterior e 11% maior do que no último trimestre.

O ROE ajustado¹ não auditado foi de 20,3% a.a. no 1T21 e o índice de Basileia manteve-se estável em 15,9%. O patrimônio líquido avançou para R$ 5,4 bilhões, 8% maior do que no 1T20 e 2% superior ao trimestre passado.

No período, o lançamento da conta digital completou um ano. Ao longo desse período, o Banco atingiu a marca de 10 milhões de clientes, dos quais 6 milhões estão na unidade de Banking, que engloba os clientes que possuem conta ou cartão. No segmento de Consumer Finance, que inclui crédito consignado, financiamento de veículo, crédito pessoal e demais produtos de crédito, o PAN segue crescendo seu portfólio com boas métricas de originação e performance.

“Seguimos focados na ampliação e no engajamento da nossa base de clientes, com uma plataforma completa de produtos e serviços, excelente experiência e muita tecnologia. Para dar sustentação a esse crescimento, aumentamos em 30% nossa equipe de TI nesse trimestre”, explica Carlos Eduardo Guimarães (Cadu), CEO do Banco PAN.

Banco Pan: banking

No primeiro trimestre desse ano, o Banco adicionou 40,9 mil clientes por dia útil no segmento de Banking, evidenciando a assertividade da estratégia adotada.

Nesse contexto, o Banco anuncia sua entrada no mercado de adquirência, oferecendo uma solução completa de meios de pagamento focada em profissionais autônomos e pequenos empreendedores, incluindo MEIs. O objetivo é oferecer um produto acessível, que se adeque tanto para quem já está empreendendo quanto para quem está buscando incentivo e crédito para começar.

“O PAN segue ousando e empreendendo, com avanços significativos em toda a jornada do usuário e em seu nível de engajamento. Sabemos que uma parte relevante de nossos clientes possuem atividades comerciais, e nossa estratégia é utilizar a ‘maquininha’ como ferramenta para fortalecer o vínculo com eles. Assim surgiu a Turbo PAN, criada para turbinar as vendas de nossos clientes”, conclui Cadu.

  • Só clique aqui se já for investidor

Consumer finance

No 1T21, a originação de crédito alcançou cerca de R$ 4,8 bilhões em consignado e veículos, 13% superior ao registrado no 1T20, e menor quando comparado ao trimestre anterior em função dos impactos pontuais do 4T20, dentre os quais destaca-se o aumento da margem consignável que vigorou até 31 de dezembro de 2020.

A carteira de crédito avançou para R$ 30,2 bilhões em 31 de março, alta de 20% sobre o mesmo período do ano anterior e 4% maior do que no fechamento do último trimestre.

A inadimplência acima de 90 dias na carteira de varejo recuou mais uma vez, de 5,5% para 5,0% no 1T21, abaixo da média histórica. A despesa de PDD líquida caiu para 3,1%, redução em linha com o comportamento da inadimplência. Enquanto isso, o indicador entre 15 e 90 dias de atraso apresentou alta de 6,3% para 7,8% em função de sazonalidade e composição da carteira.

“Tivemos um ótimo primeiro trimestre, com avanço da carteira e bons indicadores de inadimplência, mesmo diante dos desafios causados pela piora no quadro da pandemia e de efeitos pontuais no produto consignado. Estamos preparados para seguir crescendo com qualidade, rentabilidade e satisfação de nossos clientes”, comenta o executivo.

A complementariedade das operações de Banking e Consumer Finance possibilita ao Banco PAN ir muito além do crédito, gerando maior recorrência e fidelização de todos os seus clientes.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais