O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já selecionou os bancos que farão a venda das ações que detém da empresa de papel e celulose Suzano (SUZB3).

Segundo o Valor Econômico, o sindicato é liderado pelo JP Morgan e conta ainda com Itaú BBA, Bank of America, XP Investimentos e Bradesco BBI.

Uma oferta subsequente (follow-on) deve movimentar R$ 7,05 bilhões, considerando a cotação de fechamento de ontem do papel.

BNDES contrata R$ 3,3 bi em créditos para empresas

BNDESPar

O BNDES detém 11% da Suzano, por meio da BNDESPar. O banco informou aos bancos a seleção do sindicato, após o processo de praxe de envio de RFPs (request for proposals).

A venda de ações da Suzano faz parte do processo de desinvestimento do banco, e é uma das maiores posições do portfólio.

Ontem, as ações da Suzano fecharam em queda de 2,06% na B3, cotadas a R$ 48,00, em dia de baixa do Ibovespa. No ano, os papéis da produtora de celulose subiram 17,6% e, em 12 meses, a valorização foi de 67%, patamar de preço que abriu espaço para a oferta do banco.

Modelo de vendas

Diferentemente da venda de ações da Vale e da AES Tietê, o BNDES optou por fazer a venda dos papéis da Suzano no mesmo modelo de venda de ações da Petrobras.

O follow-on deve ser pela instrução CVM 400 para os emissores com grande exposição ao mercado – EGEM.

Na Vale, o banco optou por se desfazer em bloco de ações, numa transação mais rápida e viabilizada pela liquidez da companhia.

Na AES Tietê, o banco fez um processo competitivo de venda, contratando um assessor financeiro para a operação.

Com duas ofertas na mesa, de venda à AES Corp ou apoiar entrar na fusão com a Eneva, optou pela primeira oferta.

Veja SUZB3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: