A Oi (OIBR3), em recuperação judicial, teve uma geração de caixa operacional líquida positiva das recuperandas (sete empresas que formam o grupo) em R$ 8 milhões, em julho, após o resultado negativo de R$ 69 milhões observado no mês anterior.

Os dados constam do relatório mensal de atividades, enviado pelo administrador judicial da operadora, o escritório de advocacia Arnoldo Wald.

Segundo o Valor, em julho os recebimentos subiram R$ 5 milhões na comparação com o mês anterior, para R$ 2.057 bilhões, e a rubrica pagamentos teve redução de R$ 80 milhões, atingindo R $ 1.529 bilhões.

O saldo final do caixa financeiro das recuperandas cresceu R$ 768 milhões, para R$ 5,639 bilhões.

OI (OIBR3): ações disparam 25% e atingem maior cotação em quase dois anos

Leilões

A Oi estuda a possibilidade de participar do leilão de frequências para prestação de serviços 5G, previsto para 2021.

As frequências poderiam ser utilizadas na oferta de banda larga fixa sem fio de alta velocidade em áreas onde não é interessante comercialmente levar a tecnologia de fibra óptica.

A Oi vem investindo maciçamente na expansão de sua infraestrutura de fibra óptica, como forma de ampliar suas receitas.

Entre o fim de 2019 e julho deste ano, a participação da Oi no mercado de banda larga fixa via fibra cresceu três pontos percentuais. Passou de 10,1% para 13,1%, segundo dados da consultoria Teleco.

A entrada da Oi no leilão de 5G não dependeria necessariamente de um acordo com um possível novo sócio na InfraCo, empresa de infraestrutura de fibra óptica que a Oi pretende criar a partir de cisão de sua estrutura atual.

Veja OIBR3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: