O Nubank adquiriu a gestora Easynvest e, com isso, acessa o mercado de investimentos brasileiro.

A informação é do NeoFeed para quem a jogada coloca a empresa em uma posição privilegiada para disputar o dinheiro dos investidores e trazer muita escala para a Easynvest.

Segundo o portal, o Nubank deve anunciar ainda hoje a compra da Easynvest. O contrato foi assinado na noite de ontem (10).

Nubank rende até 118% do CDI; fintech tem três alternativas de investimento

O negócio

Com o negócio, o Nubank vai trazer para dentro de casa uma operação com 1,5 milhão de clientes e cerca de R$ 23 bilhões sob custódia.

E, num único lance, fará frente as grandes empresas do setor como a XP, que reina absoluta nesse mercado com 2,3 milhões de clientes e R$ 460 bilhões sob custódia.

A lógica

De acordo com o NeoFeed, ao incorporar a Easynvest, o banco fundado em 2013 por David Vélez, Edward Wible e Cristina Junqueira, poderá plugar sua base de 26 milhões de clientes na plataforma da Easynvest e, assim, fazer com que o negócio de investimentos ganhe tração.

A notícia de que a Easynvest estava procurando um modo de ganhar escala com um parceiro não é nova. Em junho, a Broadcast, do jornal O Estado de São Paulo, revelou que a empresa havia contratado o banco americano J.P. Morgan para achar um interessado no negócio.

Na semana passada, a coluna Radar Econômico, da revista Veja, publicou em primeira mão a informação que o Nubank estava próximo de fechar o negócio. E dizia que seria feita uma troca de ações entre as duas empresas.

A Easynvest, por enquanto, deverá continuar funcionando de forma independente. O negócio ainda deve passar pelo crivo do Banco Central (BC) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), mas não deve sofrer objeções. Afinal, não haveria concentração e nem sobreposição. O Nubank está, praticamente, comprando o seu passe para esse mercado.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: