O IRB Brasil RE (IRBR3) reportou nesta quarta-feira (23) que teve prejuízo líquido de R$ 62,4 milhões em julho.

Segundo a Reuters, tratam-se de dados não auditados e enviados à Superintendência de Seguros Privados (Susep), ante prejuízo de R$ 292,6 milhões em junho.

De acordo com a resseguradora, excluindo-se o impacto dos negócios descontinuados, o mês de julho registraria lucro líquido R$ 36 milhões.

O faturamento bruto em julho (prêmio emitido) somou R$ 1,5 bilhão, alta de 100,8% em relação ao mesmo período de 2019, sendo R$ 1 bilhão no Brasil e R$ 531 milhões no exterior – expansão de 133% e 58, 8% respectivamente, na mesma base de comparação.

“O crescimento em julho de 2020, decoração da renovação, com crescimento de coberturas, de um contrato sem segmento de petróleo emitido no mês”, afirmou a resseguradora em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A despesa de sinistro foi de R$ 638,3 milhões, com um índice de sinistralidade de 97,1% no mês de julho, revertendo a tendência observada no primeiro semestre de 2020, que apresentou uma sinistralidade de 108%. Quando excluídos os sinistros dos negócios não continuados, o índice fica em 73,2%.

IRB (IRBR3) reporta prejuízo de R$ 685 mi no segundo trimestre

Eleito

O IRB informou que seu conselho de administração elegeu José Octávio Vianello de Mello como membro do Comitê de Auditoria com mandato de dois anos, após reunião realizada em 28 de agosto.

Segundo a reasseguradora, Mello tem sólida experiência corporativa e em gestão de empresa, com 30 anos de experiência profissional, envolvendo o comando das áreas de Controladoria, Administração, Finanças, Planejamento, Recursos Humanos, Contabilidade, Auditoria e TI, em empresas nacionais e multinacionais.

O executivo já exerceu diversas funções na Unipar (UNIP3; UNIP5; UNIP6), de 2001 a 2014, destacando-se a de Presidente Executivo (CEO) do Grupo Unipar de 2008 a 2014.

Veja IRBR3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: