O BB Investimentos avaliou o ativo BRF (BRFS3) em seu portfólio e reiterou a recomendação de compra com preço-alvo em R$ 27 por ação.

“Consideramos que a companhia está sendo negociada a um múltiplo EV/EBITDA atrativo de 6,4x comparado a sua média histórica de dois anos de 8,7x”, informou.

De acordo com o relatório emitido pelo BB, a BRF reportou um resultado forte e acima das expectativas no terceiro trimestre de 2020.

“Como esperado, a melhoria na execução comercial continuou a impulsionar volumes de vendas no Brasil (+3% a.a) bem como favorecer o mix de produtos e canais com positivo incremento em preços médios (+17% a/a)”, disse.

E acrescentou: “adicionalmente, o dólar mais forte também contribuiu para um incremento de receita de 14% a.a no Segmento Internacional. Como resultado, a receita no consolidado atingiu R$ 9,9 bilhões (+18% a/a e 5% acima de nossas estimativas).”

Ações

Margens

A gestora destacou como positivo os esforços da empresa para manter margens em patamares mais saudáveis.

“A BRF tem expandido sua capacidade de armazenamento, feito uso de insumos alternativos e adotado política de hedge. Tais iniciativas têm mitigado o aumento significativo dos preços dos grãos. Além disso, o controle mais rígido de despesas também tem contribuído para limitar o efeito negativo dos maiores gastos relacionados ao combate ao Covid-19. Assim, mesmo diante de um cenário desafiador em termos de custos e despesas, a empresa apresentou EBITDA de R$ 1,3 bilhão, incremento de 15% a.a, com margem de 13,2%, levemente menor que os 13,5% reportado no 3T19 (ex-tributos)”, destacou.

Ainda como resultado do desempenho operacional positivo, a empresa reportou fluxo de caixa livre de R$ 987 milhões, o que permitiu com que a alavancagem ficasse estável em 2,9x, sem maiores impactos da desvalorização cambial.

BRF (BRFS3): BB Investimentos reitera compra e reajusta preço-alvo a R$ 27 por ação

Desempenho das ações

As ações de BRF marcam queda de 47% no acumulado do ano, desempenho abaixo do Ibovespa. “De fato, as incertezas quanto aos impactos dos maiores custos com grãos e despesas relacionadas às iniciativas para prevenção do Covid-19 deixaram o investidor mais cauteloso, optando por papéis com menor risco do setor. No entanto, em nossa visão, a empresa tem sido bem-sucedida nas estratégias escolhidas para enfrentar esse momento mais desafiador, o que sustenta nossa visão construtiva para sua tese de investimento à frente”, frisou.

Veja BRFS3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: