Bolsas globais abrem a quinta em alta, repercutindo pacote trilionário de estímulos nos EUA

Bolsas globais abrem a quinta-feira (11) em alta, repercutindo a aprovação do pacote trilionário de estímulos nos EUA e em meio à expectativa pela decisão de política monetária do Banco Central Europeu. No Brasil, investidores acompanham votação da PEC Emergencial e dados do IPCA.

Já o Ibovespa Futuros abriu em alta de 0,89% perto das 09h11, seguindo a alta dos futuros americanos, após a aprovação do pacote de US$ 1,9 trilhão no Congresso dos EUA, e um leve alívio fiscal, com a aprovação, por aqui, da versão desidratada da PEC Emergencial.

Os índices Dow Jones Futuros, S&P 500 Futuros e Nasdaq 100 Futuros subiam 0,29%, 0,62% e 1,59%, respectivamente, com a expectativa pela sanção da ajuda do governo Biden à economia americana. Segundo a mídia internacional, o foco agora deve ser um pacote trilionário para a área de infraestrutura, amplamente esperado por companhias brasileiras que atuam no segmento e exportam para o país.

PSSA3, RAPT4, RDOR3 E SIMH3 são as novidades da carteira de fevereiro da Planner

Bolsas: Brasil

Por aqui, a Câmara dos Deputados concluiu na madrugada desta quinta-feira a votação em primeiro turno da PEC Emergencial, com alterações, caso da retirada de trecho que previa desvinculação de recursos da Receita em caso de crise fiscal.

Deputados ainda terão de votar a PEC em um segundo turno, o que está previsto para acontecer nesta quinta.

As capas dos jornais seguem destacando o colapso no sistema de saúde brasileiro, com lotação em UTIs públicas e privadas e formação de filas para internações de casos graves da doença. Estados e municípios têm adotado diferentes medidas de lockdown, com Curitiba, no Paraná, liberando o comércio não essencial e a volta das aulas presenciais, enquanto, no Rio de Janeiro, a prefeitura prorrogou o horário de funcionamento de bares e restaurantes das 17h para às 21h.

Enquanto isso, o presidente Jair Bolsonaro parece ter mudado o discurso em relação à urgência das vacinas e às medidas de enfrentamento contra a Covid-19, defendendo agora o programa de imunização no país. Ontem, o Brasil superou, pela primeira vez, a marca de 2 mil mortes pela doença em 24 horas, com 2

  • Só clique aqui se já for investidor

Agora há pouco, o IBGE divulgou uma alta de 0,86% para o IPCA de fevereiro, contra expectativa de 0,72% na base mensal. No ano, a inflação acumulou alta de 5,20%, acima do esperado de 5,06% e da leitura anterior de 4,56%.

Bolsas: agenda do dia

  • Bolsonaro – Reunião com Braga Netto, Ministro-Chefe da Casa Civil, 8h30; reunião com Marcos Pontes, Ministro da Tecnologia, 11h; reunião com Pontes e com Damares Alves, Ministra dos Direitos Humanos, às 11h30; reunião com Gilson Machado Neto, Ministro do Turismo, às 16h; reunião com Onyx Lorenzoni, Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência, às 16h30.
  • Guedes – Reunião com o secretário executivo, Marcelo Guaranys, às 10h; reunião com o secretário Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Roberto Fendt, 11h30; Reunião com o secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, 12h30; reunião com o diretor jurídico da Secretaria Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Eduardo Jorge, 16h30; reunião com o Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Da Costa, 17h.
  • Campos Neto – Almoço com Marcelo Barbosa, Presidente da Comissão de Valores Mobiliários e membros do ministério da Economia, às 12h30.

Notícias do dia

  • Bancos – O Banco Central prorrogou até o fim de outubro a alíquota reduzida de 17% de compulsório sobre recursos a prazo, o que significa que os bancos continuarão a recolher menos recursos para a autoridade monetária por mais sete meses.
  • Dólar – O Banco Central fará na quinta-feira nova oferta líquida de contratos de swap cambial tradicional, voltando a disponibilizar até 1 bilhão de dólares nesses derivativos. O acolhimento das propostas ocorrerá entre 9h30 e 9h40. O lote de até 20 mil papéis será distribuído entre os vencimentos 1º de junho de 2021 e 1º de dezembro de 2021.
  • Imóveis – A União poderá injetar R$ 110 bilhões na economia com a doação e a regularização de imóveis da União até 2022, divulgou ontem a Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União do Ministério da Economia (SPU). O dinheiro virá de três formas: alienação, cessão e concessão e racionalização.
  • Exportações – As exportações do agronegócio do Brasil somaram US$ 6,47 bilhões em fevereiro, alta de 2,8% na comparação anual, puxadas por desempenhos positivos do farelo de soja, algodão, açúcar bruto e milho, disse o Ministério da Agricultura nesta quarta-feira.
  • Exoneração – Bolsonaro exonerou Fábio Wajngarten do cargo de Secretário Especial de Comunicação Social do Ministério das Comunicações e nomeou Flávio Augusto Viana Rocha para ocupar o cargo interinamente, segundo o Diário Oficial da União.

Notícias corporativas

  • Eneva (SA:ENEV3) – A Eneva registrou lucro líquido recorde de R$ 686,5 milhões no quarto trimestre, alta de 87,9% em relação ao mesmo período de 2019, com maior demanda por suas térmicas e maiores preços de venda de energia.
  • Ecorodovias (SA:ECOR3) – A Ecorodovias registrou crescimento do tráfego nas principais rodovias por ela administradas no quarto trimestre, mas uma grande baixa contábil levou a operadora de concessões de infraestrutura ao prejuízo.
  • Vale (SA:VALE3) – A mineradora Vale aprovou nesta quarta-feira a lista de candidatos para a composição do Conselho de Administração durante o mandato de 2021 a 2023, informou a companhia em comunicado nesta quarta-feira.
  • Eletrobras (SA:ELET3) – A Eletrobras teve decisão desfavorável no julgamento dos Embargos de Declaração pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). O recurso tratava da responsabilidade solidária da União nos processos referentes às diferenças de correção monetária e expurgos inflacionários no âmbito do Empréstimo Compulsório de Energia.
  • Braskem (SA:BRKM5) – A Braskem registrou lucro líquido de R$ 846 milhões no quarto trimestre de 2020, revertendo prejuízo de R$ 2,922 bilhões obtido um ano antes e também perda de R$ 1,413 no terceiro trimestre. No ano de 2020, a companhia registrou perda de R$ 6,692 bilhões, avanço de 139% em relação ao prejuízo apurado em 2019.
  • Turismo – Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, a esperança do setor de cruzeiros está na próxima temporada, marcada para começar em 31 de outubro. Estão previstas sete embarcações com atuação exclusiva na costa nacional, Argentina e Uruguai, além de outras que farão paradas por aqui em voltas ao mundo.
  • Ações cíclicas – Considerando as mudanças no cenário do Brasil e internacional, o Morgan Stanley (NYSE:MS) passou a apostar em ações cíclicas voltadas ao mercado doméstico em sua estratégia de investimentos para o país, acreditando que os papéis de crescimento secular devem continuar a sofrer com a alta dos rendimentos dos títulos dos EUA. (Com informações da Reuters, Agência Brasil, Estadão).

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Leia mais