A Oi (OIBR3) tem seus ativos colocados à venda. A operação de torres atraiu a atenção do grupo de investimentos Piemonte Holding.

Segundo o Valor, eles estudam a possibilidade de disputar ativos da tele que serão leiloados. Depois de fazer uma oferta vinculante pelos centros de dados da operadora em recuperação judicial, a Piemonte volta sua atenção agora para a unidade produtiva isolada de torres.

A UPI está com preço mínimo fixado em R$ 1,06 bilhao.

A infraestrutura digital é composta por centros de dados, cabos de fibra óptica e torres. Por isso, a Piemonte está avaliando proativamente os ativos de torres.

Entretanto, a gestora informou que estes ativos precisam de investimentos pesados, mas que são interessantes.

OI (OIBR3): ações disparam 25% e atingem maior cotação em quase dois anos
OI (OIBR3): ações disparam 25% e atingem maior cotação em quase dois anos

OIBR3: Titan Venture Capital

Com volume de capital autorizado para aquisições em torno de R$ 2 bilhões, a Piemonte, por meio da Titan Venture Capital, seu veículo de private equity, não teria dificuldade para investir em um negócio pouco acima de R$ 1 bilhão.

A unidade de torres da Oi é composta por 657 sites de telecomunicação “outdoor” e 225 “indoor”. Para a gestora, torres são “caríssimas”, mas o negócio é fácil de gerir, por isso o ativo funciona bem para fundos.

A UPI Torres já recebeu uma oferta firme de R$ 1,08 bilhão da Highline, do grupo Digital Colony, controlado pela americana Colony Capital.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: