“O investidor adquire uma cota na proporção de seu investimento. O cotista não pode exercer nenhum direito real sobre os imóveis, mas também não responde a nenhuma obrigação legal ou contratual”

O FII, como é conhecido o Fundo de Investimento Imobiliário, é o instrumento mais eficiente para qualquer tipo de investidor que planeja ter acesso em negócios de base imobiliária de maneira fácil, rápida e com pouco investimento inicial.  Na maioria dos casos é muito melhor do que comprar um imóvel e uma alternativa para quem não tem um grande montante.

Os FIIs são constituídos como “condomínios fechados”, divididos em cotas que, uma vez adquiridas, não podem ser resgatadas.

Os recursos captados na venda das cotas poderão ser utilizados para a aquisição de imóveis rurais ou urbanos, construídos ou em construção, destinados a fins comerciais ou residenciais, bem como para a aquisição de títulos e valores mobiliários ligados ao setor imobiliário, tais como cotas de outros FIIs, Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), ações de companhias do setor imobiliário, etc.

Tudo isso de acordo com um regulamento que define a política de investimento do fundo.

Como investir em um FII?

“Assim, ao investir em um FII, o investidor adquire uma cota na proporção de seu investimento. O cotista não pode exercer nenhum direito real sobre os imóveis ou empreendimentos integrantes do patrimônio do fundo, mas também não responde a nenhuma obrigação legal ou contratual do mesmo”, explica Fabrizio Gueratto, Financista do Canal 1 Bilhão Educação Financeira.

A oferta pública de distribuição de cotas dos FIIs é o momento que os administradores apresentam o fundo para os demais investimentos. Para participar da oferta e adquirir cotas do FII, o investidor deve procurar uma instituição intermediária (corretora, distribuidora ou banco de investimento) que esteja participando do consórcio de distribuição de cotas e registrar seu pedido de reserva. Por ser um “condomínio fechado” o resgate só é permitido em caso de liquidação ou em término do seu prazo de duração, quando houver.

Caso não exista interesse em permanecer no fundo o investidor poderá negociar suas cotas em um mercado secundário, ou seja, vender para outro investidor.

Como funciona um Fundo de Investimento Imobiliário?

A principal forma de rendimento do FII (Fundo de Investimento Imobiliário) é por meio da distribuição periódica de resultados. A lei estabelece obrigatoriedade da distribuição de no mínimo 6 meses, mas na prática ela ocorre mensalmente.

“É importante notar que o valor das cotas pode oscilar de forma considerável, a depender das condições do mercado e gestão do fundo. Portanto não é considerado de renda fixa, podendo sujeitar os investidores a perdas patrimoniais em decorrência dos riscos relacionados à liquidez das cotas, à volatilidade do mercado de capitais e da economia, e aos imóveis integrantes da carteira.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: