“Os cidadãos brasileiros devem preocupar-se em aprender e aplicar educação financeira em todas as fases da vida, inclusive na terceira idade”

O cuidado com o próprio dinheiro é algo que muitas pessoas se dão conta da importância ao chegar na melhor idade. É preciso fazer o planejamento financeiro em todas as fases da vida, inclusive na terceira idade. Educar-se financeiramente significa que o indivíduo protegerá o próprio dinheiro, visando cortar gastos, fazer investimentos, multiplicar os ganhos, acumular riquezas, além de claro, defender seu patrimônio.

Poupança:

A poupança é o método mais popular entre os idosos. Para iniciar uma poupança, não é necessário ter trabalhado a vida inteira. Pode-se começar em qualquer fase da vida, desde que se tenha controle das despesas, conforme o Financista Fabrizio Gueratto afirma:

“Para poupar dinheiro, o indivíduo deve primeiro verificar todas suas despesas fixas X despesas supérfluas. Dessa forma ele pode calcular seu custo de vida para reduzir gastos. Enganam-se àqueles que poupam apenas o dinheiro que sobra, após pagar todas as contas. O correto para poupar é listar todas as despesas e verificar quais gastos são desnecessários, como alguns passeios para entretenimento que possam ser deixados de lado, e então passar a guardar este dinheiro.”

Débito ou crédito:

Os idosos representam hoje aproximadamente 43% da população que mantém suas famílias. O Financista faz um alerta: “Os cartões de crédito devem ser usados com cautela. O aposentado deve saber usar o crédito, o débito e deve acompanhar os juros de cada cartão em que ele tiver. Como em qualquer idade, a gente deve se perguntar ‘Será que eu posso ter um cartão? Será que posso usar o meu cartão?’ Minha orientação é que se use o cartão de crédito apenas para compras com pagamento no mesmo mês, pois àqueles que utilizam e fazem o ‘pagamento mínimo’, acabam se endividando e as vezes criando problemas financeiros. Dica: Muitas contas possuem desconto para quem cadastrar o pagamento em débito automático, essa é uma maneira inteligente de usar o cartão para pagar uma conta de telefone, por exemplo.”

Inflação:

A preocupação com a inflação deve ser motivo de atenção para todas as idades, afinal, é ela quem determina o aumento de preço dos bens e serviços. “Se o indivíduo conseguiu ao longo da vida comprar casas, carros e acumular riquezas, é bom ele sentar com um planejador financeiro, que o ajude a defender este patrimônio. Ele poderá ajudá-lo a avaliar se seus bens estão bem investidos e quais as melhores ações a serem tomadas para a inflação não desvalorizar os bens que ele tiver.” comentou Fabrizio.

Previdência social e privada:

Diferentemente da poupança, a previdência não é um tipo de investimento de alta liquidez, porque seu foco é contribuir no presente para manter qualidade de vida no futuro. “A previdência social e a privada são maneiras de garantir uma velhice mais tranquila financeiramente. A maioria das pessoas faz a previdência social, que é um serviço do Estado, importante de fazer, porém, a previdência privada é uma opção mais rentável e pode ser complementar á Social”. Afirma Fabrizio.

Planejamento Patrimonial:

Planejamento é uma das etapas mais importantes para fazer o dinheiro render. “O idoso que ainda não fez patrimônio para viver de renda, terá que trabalhar até quando a saúde permitir. A melhor alternativa para que seu dinheiro consiga pagar todas as contas, é criar uma planilha ou escrever em um caderno uma tabela com todos os gastos separando, por exemplo: alimentação, lazer, educação, transporte, etc. Com este controle feito, é bacana o idoso traçar metas, de preferência com valores fixos, de coisas em que gostaria de comprar ou viajar, por exemplo. Pesquisar preços de produtos é uma tarefa importante para nosso dinheiro. Além disso, não devemos em nenhuma hipótese gastar mais do que ganhamos” disse Fabrizio.

Renda Fixa e Renda Variável:

Investimentos em renda fixa e em renda variável são aplicações dos recursos que se faz ao longo da vida, ou seja, somente é possível aplicar o dinheiro em fundos ou ações, quem fizer planejamento financeiro. “Para iniciar seus investimentos em renda fixa ou variável, é preciso entender qual seu perfil como investidor, e principalmente, qual objetivo pretende-se ter com a renda gerada por este dinheiro. A renda fixa é um tipo de investimento a ser pago em períodos definidos, com remuneração correspondente a uma determinada taxa de juros. Essa taxa pode ser prefixada ou pós-fixados. Já a renda variável, são aplicações cuja remuneração correspondente não poderá ser dimensionada no momento da aplicação. Um exemplo mais conhecido atualmente é o Tesouro Selic, negociada através do Tesouro Direto. No CDB, o investidor empresta dinheiro aos bancos e é remunerado por isso. No LCA, o investidor aplica seu dinheiro para financiar o setor do agronegócio, e tem como vantagem a isenção no Imposto de renda. No LCI, também é possível ter isenção do Imposto de renda para os recursos investidos no setor imobiliário. A desvantagem deste rendimento pode ser o aporte inicial ser elevado e a realização ter um período mais longo.” explica o Financista.

Para concluir, o Financista faz um alerta: “As famílias devem tomar cuidado com ligações fraudulentas. Todos os dias os aposentados e idosos recebem muitas ligações para empréstimos e venda de produtos. É importante ficar atento para não cair em golpes. Não se devem passar dados dos cartões para ninguém por telefone. Outro cuidado que os idosos devem ter é o de não emprestar seu dinheiro, nem seu nome para amigos e familiares.”

Sobre 1Bilhão

O canal 1Bilhão leva educação financeira em uma linguagem simples, resumida e disruptiva, para que o investidor aprenda a acumular riquezas, preservar o poder de compra e aumentar a sua rentabilidade com investimentos com alta expectativa de retorno. Fundado pelo jornalista, escritor e palestrante Fabrizio Gueratto, eleito em 2018 com um dos mil paulistanos mais influentes e que atua a mais de 12 anos no mercado informações financeiras.

Tem como mascote o Golden Retriever Troy Bilhão, o primeiro Cãoducador Financeiro, um dos cachorros mais ativistas da internet. O canal tem como o slogan “investimento não é cassino” e foca em desconstruir na cabeça do brasileiro a ideia de que é preciso acertar sempre o investimento da moda.

O planejamento patrimonial de qualquer pessoa, independente da sua classe social deve começar ainda na infância e continuar até o final da vida. Além disso, o conteúdo também revela as pegadinhas que existem dentro do mercado financeiro e como desviar delas.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: