“Um empréstimo consignado chega a cobrar de juros 42,8% ao ano, enquanto o cheque especial pode cobrar até o 327%”

Os grandes bancos possuem diversos produtos financeiros para oferecer aos clientes. O cheque especial é um deles, sendo uma maneira de dar crédito fácil aos clientes, e funcionando como um empréstimo pré-aprovado que o usuário pode acionar diretamente pela conta corrente, sem precisar solicitar ao gerente do banco. Os bancos oferecem o cheque especial sabendo sobre o risco que é oferecer um crédito, sem garantias que o correntista pagará a dívida. Por este motivo, são cobradas altas taxas de juros, chegando até 327% por ano. “Apesar de ser fácil de usar, acionar o cheque especial pode ser um problema para o correntista do banco. Nem mesmo para uma emergência é vantajoso usá-lo. As altas taxas de juros podem ser um grande problema, principalmente para aqueles que utilizam como forma de ampliar o salário”, afirma Fabrizio Gueratto, Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira.

Outras dúvidas sobre o cheque especial:

  1. O que é cheque especial?

Um limite de crédito pré-aprovado, disponível em contas-corrente. Alguns bancos costumam aumentar o valor do cheque-especial conforme a renda, utilização e histórico de pagamentos do cliente. A facilidade em utilizar esse produto como empréstimo fez com que muitas pessoas criassem o hábito de utilizá-lo como extensão do salário, mesmo pagando o alto custo das taxas de juros.

  • Como funciona o cheque especial?

É muito fácil de usar, afinal, em geral, ele fica disponível na conta, sem que o cliente precise solicitar. Disponibilizado pelo banco para diversos perfis de contas-corrente, em alguns casos, cobram a taxa de juros pela utilização e uma multa com valor estipulado pelo banco para quem utilizar o cheque especial.

  • Por que o cheque especial tem juros tão altos?

Os juros do cheque especial são mais altos do que o valor de qualquer empréstimo consignado. Por este motivo, não é recomendado utilizar. As taxas de juros são altas porque, assim como em qualquer investimento, quanto maior o risco, maior devem ser os ganhos. Neste caso, o banco assume o risco de receber ou não o valor da dívida pelo correntista, ganhando em troca os valores cobrados pelos juros. Um empréstimo consignado chega a cobrar de juros 42,8% ao ano, enquanto o cheque especial pode cobrar até o 327%, de acordo com o levantamento do Banco Central.

  • Quando devo pegar cheque especial?

Os grandes bancos são os únicos que se beneficiam quando um correntista utiliza o serviço. Até para uma emergência, utilizar o cheque especial não é uma boa escolha para nenhum bolso. Mesmo um empréstimo consignado consegue ser melhor.

“A falta de educação financeira faz com que as pessoas façam escolhas ruins para o próprio dinheiro. É importante entender as taxas de juros, valores cobrados pelos serviços dos bancos, além de planejar despesas e ter um cofre de emergência. Se um indivíduo se questionasse sobre os juros que está pagando, ele não utilizaria o cheque especial como limite da conta corrente. Estamos saindo de uma crise financeira no Brasil, em que muitas famílias acabaram se endividando. O endividamento por utilizar o cheque-especial é uma das piores escolhas”, explica Gueratto.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: