“O Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira listou 8 dicas simples que qualquer pessoa consegue colocar em prática e se divertir sem exagerar nos gastos”

No Brasil temos vários períodos festivos que causa também descontroles financeiros nos foliões que pensam apenas no curto prazo. O motivo é sempre o mesmo. A emoção toma conta e fica na frente da razão. O álcool potencializa, e muito, a tomada errada de decisões. O problema é que as pessoas esquecem que esses dias acabam, a vida volta ao normal e as dívidas, também. O Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira, Fabrizio Gueratto, listou 8 dicas simples que qualquer pessoa consegue colocar em prática e se divertir sem exagerar nos gastos.

1 – Planejamento: Qualquer gasto fora do padrão do dia a dia sempre deve ser planejado para que se estabeleça um limite de gasto de acordo com o padrão de vida de cada um. No carnaval não é diferente. O folião precisa anotar cada um dos gastos que terá, como fantasias, festas, hospedagem, alimentação e transporte, além de um extra por dia;

2 – Zonas Populares: As grandes cidades têm as zonas de comércio popular. Em São Paulo, os bairros do Brás e Centro concentram estes comércios. Por venderem em grandes quantidades o preço dos produtos quase sempre é bem mais baixo que as demais localidades. Nas datas comemorativas, como natal e carnaval, as lojas vendem produtos da época;

3 – Cartão de Crédito: O vilão de quase todas horas ataca mais em momentos de descontração. Na felicidade as pessoas estão mais propensas a gastar o que não podem pelo calor da emoção. O ideal para quem não tem controle é aposentar o plástico por alguns dias;

4 – Álcool: Além de fazer mal para a saúde faz mais mal ainda para o bolso. Quanto mais as pessoas bebem, mais ricas elas ficam. O álcool funciona como um desinibidor e baixa o centro crítico do que é certo ou errado e suas consequências. Leve no bolso apenas o que você quer e pode gastar;

5 – Hospedagem: Sites como Airbnb e Alugue Temporada são aliados da economia. Porém, uma outra dica é ainda mais valiosa. Nem sempre fechar em cima da hora é um mal negócio. Pousadas e hotéis fazem promoções quando está muito perto da data e o quarto ficará vago. O único problema é o risco da cidade estar lotada. O ideal é monitorar os leitos disponíveis com pelo menos 15 dias de antecedência;

6 – Quarta-Feira de cinzas: Antes de começar o carnaval o folião deve ter em mente que na quarta-feira a vida volta ao normal. Isso é importante para evitar os gastos impulsivos e fazer dívidas. Não vale a pena pagar por meses um problema causado em dias;

7 – Carnaval de rua: As festas gratuitas nas ruas voltaram com tudo. Os famosos bloquinhos muitas vezes reúnem cantores famosos que querem se promover e acabam por oferecer diversão sem custo algum. Aplicativos para smartphones ajudam a localizar o dia e horário desses eventos;

8 – Transporte compartilhado: Os aplicativos de transporte oferecem a opção compartilhada, em que o mesmo carro é dividido com mais pessoas. Na época de festas as pessoas costumam se locomover para os mesmos lugares. Como o preço varia de acordo com a procura por carros em um determinado local, ir sozinho pode custar caro. É a famosa tarifa dinâmica.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: