Vendas nos supermercados reduzem na passagem de janeiro para abril

O Faturamento real dos supermercados no estado de São Paulo (dessazonalizado pelo IPCA/IBGE) no conceito de mesmas lojas – comparando o desempenho de janeiro a abril de 2021 em relação a janeiro abril de 2020 – o faturamento real pelo IPCA apresentou queda de 0,40%, e na comparação de abril de 2021 com abril de 2020 a queda é de 6,83%.

A base de comparação entre os meses de abril de 2021 e abril de 2020 tem um fator importante a ser considerado, que é a elevada base de comparação, diante do período em que o setor supermercadista foi muito exigido por parte da população que temia um desabastecimento e correu para as lojas com intuito de estocar itens de primeira necessidade.

Supermercados

Já na análise do Faturamento Real dos supermercados no Estado de São Paulo dessazonalizado e deflacionado pelo IPS/FIPE/APAS no conceito de mesmas lojas – o resultado acumulado no primeiro quadrimestre de 2021 apresenta queda de (8,90%), o resultado é influenciado pelas fortes distorções de demanda ocasionado pelo início do confinamento que levou o consumidor a estocar produtos pelas incertezas da circunstância.

Outro forte indicativo desse movimento de estocagem, pode ser observado se compararmos abril de 2021 a abril 2020 que expressa significativa queda real de (13,06%). Isolando o movimento atípico provocado pela pandemia em 2020, a expectativa das vendas em abril de 2021 em relação a março desse ano, eram mais promissoras devido o pagamento da primeira parcela do auxílio emergencial, entretanto como a 1º parcela só foi paga em 29/04 o resultado não foi percebido no fechamento de abril que apresentou desempenho (5,13%) inferior do que de março de 2021.

As vendas ao longo de 2021 apresentam desaceleração expressiva quando comparado a 2020, diante de uma inflação mais elevada e persistente que afetou o poder de compra da população, reduzindo o volume de compra das famílias nos supermercados.

O desemprego atinge 14,7 % da população brasileira e registra o maior índice desde início da série histórica, quando o IBGE começou a registrar em 2012. Assim a desaceleração em alguns setores da economia, aliado a um processo de redução da renda disponível que é corroída pela inflação refletindo na queda do consumo.

Contudo, vale destacar que o setor supermercadista vem criando condições para enfrentar esse cenário macroeconômico adverso e continua apresentando um desempenho mais promissor quando comparado a outras atividades econômicas.

A tendência é de que os próximos meses conduzam o setor para um campo de oportunidades de melhora na eficiência atrelada a produtividade para que os resultados sejam mais favoráveis ao longo do ano. E assim, a expectativa é que o cenário econômico que se desdobrará nos próximos meses reverta este cenário apresentado nos 4 primeiros meses do ano, e o setor deve fechar o ano com alta real de 4% em relação a 2020.

  • Só clique aqui se já for investidor

APAS

A Associação Paulista de Supermercados representa o setor supermercadista no Estado de São Paulo e busca integrar toda a cadeia de abastecimento. A entidade tem aproximadamente 1.500 associados, que somam cerca de 4.000 lojas.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais