Inflação oficial fica em 0,31% em abril; resultado veio em linha, diz economista da Ativa

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, ficou em 0,31% em abril deste ano. A taxa é inferior à observada em março deste ano (0,93%), mas superior à registrada em abril do ano passado (-0,31%).

Segundo os dados divulgados hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação acumula taxas de 2,37% no ano e de 6,76% em 12 meses.

A taxa de 12 meses ficou acima da acumulada até março (6,10%) e do teto da meta de inflação estabelecida pelo Banco Central para 2021: 5,25%.

Oito dos nove grupos de despesa pesquisados pelo IBGE tiveram alta de preços em abril, com destaque para saúde e cuidados pessoais, que registrou inflação de 1,19%. Entre os responsáveis por esse resultado estão itens como produtos farmacêuticos (2,69%) e de higiene pessoal (0,99%).

Inflação

Outro grupo com alta relevante no mês foi alimentação e bebidas (0,40%), devido ao comportamento de preços de itens como carnes (1,01%), leite longa vida (2,40%), frango em pedaços (1,95%) e tomate (5,46%).

O único grupo de despesas com deflação (queda de preços) foi transportes (-0,08%). Os combustíveis tiveram queda de preços de 0,94%, com 0,44% na gasolina e 4,93% no etanol.

Outros grupos de despesa com inflação foram habitação (0,22%), artigos de residência (0,57%), vestuário (0,47%), comunicação (0,08%), educação (0,04%) e despesas pessoais (0,01%).

  • Só clique aqui se já for investidor

Ativa Investimentos

De acordo com o economista-chefe da Ativa Investimentos, Étore Sachez, o resultado do IPCA veio relativamente em linha com o esperado ao exibir avanço de 0,31%, ante expectativa de 0,29% da gestora, idêntica a mediana de mercado.

“Com esse resultado o IPCA acumulado em 12 meses salta de 6,10% para 6,76%, muito impulsionado pelo avanço de administrados, alimentos e industriais, a despeito de serviços que permanece muito bem comportado”, disse.

E acrescentou que a média dos núcleos também veio relativamente em linha ao exibir variação de 0,33% ante 0,29% esperado pela Ativa. “Assim, quando acumulado em dose meses a inflação estrutural segue avançando em ritmo relativamente dentro do esperado.”

“Dentre nossos principais desvios destacamos o avanço além do esperado de medicamentos (4bps) e higiene pessoal (3bps) na contramão do desvio baixista de gasolina (-2bps). Com o comportamento da inflação dentro do esperado e a abertura das projeções do headline sem grandes desvios, avaliamos que a projeção para o IPCA de 2021 deverá permanecer em 4,8%. Preliminarmente projetamos que maio deverá ter variação de 0,64%, mas muito em breve divulgaremos as novas projeções considerando o que fora divulgado hoje”, concluiu.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais