Com redução da taxa de fiscalização paga à CVM, agentes autônomos ganham vantagem na Bolsa

A partir de 2022, ser agente de investimentos autônomo no Brasil será mais fácil e vantajoso

Na última sexta-feira (1), a Medida Provisória (MP) relacionada a Taxa de Fiscalização dos mercados de títulos e valores mobiliários foi editada. Com isso, o tributo para agentes autônomos pessoa física cairá em 80%, indo de 2.538,52 para R$ 530,00 ao ano.

Além disso, os agentes autônomos pessoa jurídica terão uma redução de 50%. Portanto, o valor irá de de R$ 5.077,00 para R$ 2.538,50 ao ano. Por outro lado, as grandes instituições financeiras e corretoras de valores passaram a pagar uma taxa bem mais alta.

O que muda?

A taxa de fiscalização dos mercados de títulos e valores mobiliários normalmente é paga à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) por aqueles que atuam no mercado financeiro, como corretoras de valores, bancos e assessores e agentes autônomos.

Com a nova medida, que entrará em vigor no próximo ano, ser agente de investimentos autônomo no Brasil ficará mais fácil. Antes, as taxas que o profissional precisava pagar à comissão eram altas. Agora, com apenas R$ 530 ao ano, é possível exercer essa atividade.

Taxa de fiscalização do mercado

Motivos da mudança

Segundo o governo, o objetivo é deixar mais justo e proporcional às taxas pagas de acordo com o tamanho da instituição, Além disso, com a medida, eles esperam que as companhias abertas e fundos de investimentos contribuam mais, enquanto os agentes autônomas paguem menos.

De acordo com o chefe da Assessoria de Análise Econômica e Gestão de Riscos da Comissão de Valores Mobiliários, Bruno Barbosa de Luna, apesar deles concordarem com  a diminuição da taxa para agentes autônomos, a decisão veio do Ministério da Economia.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais