Brasil é 8º país com mais transações em tempo real; Pix ajudou

Trata-se do sistema de pagamento instantâneo do BC

O lançamento do Pix, sistema de pagamento instantâneo liderado pelo Banco Central, há mais de quatro meses fez o Brasil subir uma posição entre os dez países que mais geram transações em tempo real no ano passado, alcançando a oitava colocação e superando Estados Unidos, que ficou no nono lugar.

De acordo com o Valor Econômico, foram 1,3 bilhão de transações em 2020, um aumento de 58% em relação ao registrado em 2019, mostra um novo relatório global da ACI Worldwide e GlobalData.

Entre os 48 mercados pesquisados globalmente, foram processadas mais de 70,3 bilhões de transações de pagamentos em tempo real em 2020, avanço de 41%.

A Índia está na primeira posição, com 25,5 bilhões de transações de pagamentos em tempo real, seguida pela China, com 15,7 bilhões. A Coreia do Sul vem em terceiro lugar, com 6 bilhões; a Tailândia, em quarto, com 5,2 bilhões; e o Reino Unido, em quinto, com 2,8 bilhões.

Brasil é 8º país com mais transações em tempo real; Pix ajudou

Pix

Na sexta posição está a Nigéria, com 1,9 bilhão de transações; e, em sétimo lugar, o Japão, com 1,7 bilhão de transações. Com Brasil no oitavo lugar e EUA no nono (com 1,2 bilhão de transações), o top 10 é completado pelo México, com 942 milhões de transações.

O levantamento considera como transação em tempo real toda movimentação financeira entre contas bancárias feita de forma instantânea. No Brasil, além do Pix, existe a Transferência Eletrônica Disponível (TED) lançada em 2002. Ambas foram criadas pelo Banco Central.

A diferença é que enquanto o Pix funciona 24 horas em todos os dias da semana, inclusive fim de semana e feriado, a TED funciona no horário bancário de segunda a sexta-feira. Além disso, não há cobrança de tarifa de pessoas físicas nas transações com o Pix e, na TED, o custo é determinado pelo banco.

O CEO global da ACI, Odilon Almeida, avalia que o crescimento de quase 60% das transações no Brasil surpreende. Segundo ele, é mais comum que, após novidades do mercado, as operações subirem por volta de 40%. A aceitação do Pix explica esse movimento, mas o isolamento social, devido à pandemia, também teve grande parcela de contribuição.

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais