A XP anunciou o lançamento de um fundo local, o BlackRock Global Impact Advisory, que investe no fundo Global Impact, gerido pela BlackRock.

O fundo da gestora norte-americana busca criar impacto investindo em empresas cujos produtos e serviços contribuem para resolver os grandes problemas sociais e ambientais do mundo.

XP vê lucro mais que dobrar no 2º tri; ações avançam

Os negócios

Os negócios dessas empresas buscam avançar nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, como aumentar o acesso a educação de qualidade e cuidados de saúde inovadores, promover o crescimento econômico inclusivo, combater a mudança climática e degradação ambiental e a progressão da igualdade de gênero.

O fundo consiste em um portfólio de ações globais diversificado e de alta convicção que procura maximizar o retorno total a longo prazo. Para atingir os objetivos do fundo, a equipe de investimento do fundo da BlackRock visa empresas que atendem ao conjunto de critérios de impacto, incluindo:

  • Materialidade: a atividade principal do negócio atende um ou mais ODSs;
  • Adicionalidade: o negócio da companhia tem a intenção de entregar uma solução para problemas sociais ou ambientais
  • Mensurabilidade: o impacto deve ser claro, transparente e quantificável.

Estratégia

A estratégia no exterior, na qual o fundo da XP investirá, é gerida por Eric Rice, Head de Investimentos de Impacto em Ações da BlackRock, e arquiteto da Global Impact, a primeira estratégia diversificada de investimento de impacto em mercados públicos do mundo.

“Temos escutado há bastante tempo que os investidores estão procurando acessar estratégias de investimento que os ajudem a alcançar resultados ambientais e sociais positivos, ao mesmo tempo que maximizam seus retornos financeiros; numa visão de longo prazo, acreditamos que o investimento de impacto por meio de ações públicas pode entregar o que eles estão procurando “, diz Eric.

“A pandemia COVID-19 colocou em evidência o papel importante que as empresas e investidores podem desempenhar para enfrentar os desafios que nossa sociedade atravessa. E assim, algumas das áreas que nosso fundo busca ajudar os clientes a investir incluem empresas focadas em ferramentas de diagnóstico médico, ventiladores e vacinas para combater a crise, ensino à distância e transações eletrônicas, bem como sistemas de notificação em massa de crise e microcréditos, e outras necessidades críticas”, explica Eric Rice.

“Assim como no Brasil, globalmente vemos um crescente aumento de investidores alocando seus recursos em investimentos sustentáveis. Somente neste ano tivemos, na BlackRock, um fluxo de mais de US$ 25 bilhões de novos aportes tanto em nossos ETFs como nos fundos de estratégias ativas, elevando para U$ 127 bilhões o nosso total de ativos em investimentos sustentáveis. Nossa meta é atingir a marca de US$ 1 trilhão até 2030. Trazer este produto em parceria com a XP, que tem se posicionado como protagonista neste tema, permitirá aos investidores brasileiros acessar uma estratégia diferenciada de impacto global”, diz Carlos Takahashi, presidente da BlackRock Brasil.

“Estabelecer parceria com a maior gestora global de ativos, numa estratégia totalmente voltada a empresas alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, é uma iniciativa que se alinha ao propósito da XP de oferecer diversidade e alta qualidade de produtos na plataforma de investimentos. Esse é apenas mais um passo para que possamos oferecer o que há de melhor no mundo a nossos clientes em termos de classes de ativos e de diferentes regiões do mundo”, observa o especialista em fundos da XP, Fabiano Cintra.

“Os investidores estão cada vez mais atentos aos impactos tanto sociais quanto ambientais que as empresas geram e, no Brasil, esse movimento vem começando a ganhar força, o que é extremamente positivo. Ao incluir esse produto no portfólio da XP, estamos não só oferecendo um produto excelente aos clientes, mas incentivando outras companhias a adotar medidas de impacto, criando assim um ciclo virtuoso e extremamente relevante para o país”, destaca Marta Pinheiro, diretora ESG da XP Inc.. A estratégia usa os Princípios Operacionais da IFC, do Banco Mundial, para garantir que as considerações de impacto sejam integradas ao longo do ciclo de vida do investimento.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: