Visa (VISA34) aceita Bitcoin como forma de pagamento; saiba como vai funcionar

A decisão da empresa mostra um sinal de aceitação em relação às moedas digitais na indústria financeira

A Visa (VISA34) anunciou que vai passar a aceitar Bitcoin (BTC) e criptomoedas como forma de pagamento. Além disso, a empresa, que é uma das mais famosas na área de cartões e pagamentos, deu detalhes de como vai implementar a novidade.

De acordo com a companhia, o objetivo da mudança é aumentar seus produtos com criptoativos. Contudo, vale lembrar que já existem os cartões pré-pagos da Visa que podem ser “carregados” com criptomoedas.

Além disso, a decisão da empresa pode significar uma aceitação da indústria financeira, que vem crescendo nos últimos anos, em relação ao dinheiro criptografado.

Visa e o futuro

De acordo com Eduardo Abreu, vice-presidente de novos negócios da Visa, o uso de criptomoedas como pagamento cria uma espécie de ponte que facilita investimentos nesses ativos, assim como produtos vinculados. Isso também é válido para fundos e ETFs dentro de uma mesma plataforma.

Em suma, já existem serviços disponíveis da empresa que propõe a integração de produtos bancários tradicionais com criptomoedas. Além disso, a companhia também possui um sistema de cashback com criptomoedas.

“O brasileiro já tem a cultura de receber pontos do cartão, milhas, descontos, etc. Por que não receber criptomoedas com o cartão de crédito também?”, afirmou Abreu.

Como deve funcionar?

A empresa pretende trabalhar com algumas empresas ou corretoras de criptomoedas, também conhecidas como exchanges, para inaugurar um cartão atrelado a conta com ativos.

“O passo decisivo para uma adoção mais ampla dos ativos digitais passa pela integração dos serviços bancários tradicionais ao ecossistema das criptomoedas. É necessário que os clientes possam movimentar as suas reservas em criptoativos através de suas contas correntes.”, disse o vice-presidente.

Visa (VISA34) aceitará Bitcoin como forma de pagamento
Ilustração criptomoedas e Visa

Alta do Bitcoin

Ao fim do mês de agosto, o mercado acompanhou a criptomoeda mais famosa do mundo, o Bitcoin (BTC), voltar aos US$ 50 mil, preço que se sustenta até hoje. Dessa forma, o ativo apresentou sua maior cotação desde de maio deste ano.

A alta é extremamente importante, pois a criptomoeda vinha passando por um longo período de queda, algo que assustou seus investidores.

A princípio, o maior aumento do Bitcoin foi em abril desde ano, quando a cripto conseguiu alcançar o valor de US$ 64 mil. Mesmo assim, logo em seguida, ela despencou e chegou ao seu menor preço em 2021, cerca de US$ 30 mil.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais