A Ultrapar (UGPA3) está avaliando alternativas estratégicas para seu negócios Oxiteno, que incluem potencial desinvestimentos, afirmou o grupo multisetorial em comunicado o mercado neste segunda-feira (14).

De acordo com a empresa, o movimento tem como contexto a restruturação e consolidação na indústria química global e busca viabilizar a continuidade da expansão e do fortalecimento da Oxiteno, desenvolvida pelo grupo há mais de 40 anos.

Grupo Ultrapar

Investimento

A companhia apresentou dia 101 seu plano de investimentos para 2021. As projeções da companhia totalizam R$ 1,89 bilhão, superando o montante investido em 2019 e 2020.

Metade do plano é voltado para expansão, com destaque para Ipiranga, Ultracargo e Ultragaz, enquanto a parcela restante será destinada para segurança, manutenção de ativos e de participação de mercado e investimentos em tecnologia da informação, além de renovação e reformas.

A Ultrapar planeja aumentar os negócios por meio da ampliação de capacidade ou com ganhos de eficiência e produtividade. Para a Ipiranga, a empresa se concentrará na expansão da infraestrutura logística com a criação de bases de distribuição em Belém (PA), Cabedelo (PB), Vitória (ES) e Fortaleza (CE). A Ultrapar ainda pretende ampliar o número de postos, dando prioridade a unidades com maior galonagem, e abrir novas franquias da AmPm.

Ultracargo

Em relação à unidade de negócio Ultracargo, R$ 280 milhões serão desembolsados para construir um terminal em Vila do Conde (Belém) e expandir o terminal de Itaqui (MA).

A Ultragaz investirá em expansões com novas bases de engarrafamento em Belém e Fortaleza, totalizando uma parcela de R$ 70 milhões.

A Oxiteno e a Extrafarma vão otimizar a logística para aumentar a produtividade e investir em suas plataformas digitais.

Veja UGPA3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: