A Suzano (SUZB3), maior produtora mundial de celulose de eucalipto, anunciou na terça-feira (15) que seu conselho de administração aprovou plano de investimento de R$ 4,9 bilhões para 2021.

Em fato relevante, a companhia explicou que o aumento do orçamento para 2021, ante R$ 4,2 bilhões para este ano, decorre de maior capex de manutenção, diante da valorização do dólar, e de previsão de produção maior, entre outros fatores.

Suzano

Ágora Investimentos

Para a Ágora Investimentos, a companhia mostrou seu poder de fogo no mercado internacional de celulose, ao impor um reajuste de preços acima do esperado pelos analistas.

Conforme a gestora, a empresa informou seus clientes europeus e americanos que a nova tabela valerá já a partir de janeiro.

A meta da Suzano é cobrar US$ 750 por tonelada na Europa, e US$ 970 na América do Norte. Em um breve comentário aos clientes, Thiago Lofiego e Luiza Mussi, da Ágora, afirmam que a companhia superou essa expectativa, “estabelecendo novo patamar de preços US$ 70 acima dos níveis spot de janeiro”.

Segundo os analistas, isso confirma os prognósticos positivos para o mercado de papel e celulose em 2021, “com o crescimento da demanda ultrapassando a oferta”. A Suzano é a ação favorita da Ágora nesse setor.

Área de Floresta

Dentro do plano de reduzir o endividamento, a Suzano anunciou a venda de uma área de 21.066 hectares de florestas na região central do estado de São Paulo para a Bracell Celulose e Turvinho Participações.

Os compradores também se comprometeram a adquirir as florestas já estabelecidas e as em crescimento e também a comprar um volume de madeira adicional pelo preço de R$ 1,056 bilhão. O negócio ainda depende da aprovação do Cade, o órgão de defesa da concorrência.

Veja SUZB3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: