“Só o FGTS não deve mudar muita coisa, claro que aquece o mercado, porém há uma série de outros fatores importantes”

Hoje, se inicia o saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). A soma deste primeiro saque feito pelos não correntistas da Caixa Econômica Federal, que somam 4,1 milhões de pessoas, é de R$ 1,8 bilhão. Os saques se iniciaram em setembro, com os correntistas e devem seguir acontecendo até março de 2020, até lá a retirada por não correntistas é estimada em R$ 25 bilhões. Para a realização dos pagamentos e auxilio ao cliente, a Caixa estendeu o horário em mais de 2.300 agências, além disso, as agencias funcionarão sábado até às 15h. Ainda no cenário doméstico, a semana foi turbulenta, já que houve vazamento de áudios do presidente Jair Bolsonaro planejando derrubar Luciano Bivar, líder do PSL, partido ao qual pertence. As alfinetadas se deram pelas investigações sobre possíveis candidatos laranjas no partido.

No cenário externo, as oscilações foram causadas pelo acordo do Brexit para que o Reino Unido deixe de ser parte da União Europeia, ainda sem acordo firmado e com Boris Johnson cogitando um “Brexit Duro”, ou seja, a separação mesmo sem acordo fechado, os laços comerciais entre as duas partes têm se distanciado cada vez mais. Jefferson Laatus, Estrategista-Chefe do Grupo Laatus, acredita que o principal provocador das oscilações da semana foi o acordo do Brexit. “A semana foi pouco movimentada no cenário interno, agora, o impacto se deve em muito ao acordo para a saída do Reino Unido da UE”, afirma. Ele continua e diz que o foco no cenário interno foi o vazamento do áudio de Bolsonaro contra a liderança do PSL. “Não teve muita coisa no cenário nacional além da polêmica com o vazamento do áudio de Bolsonaro contra o líder do PSL”.

Sobre o FGTS, fator importante no cenário doméstico, Laatus aponta que os dados atuais estão ruins e que ainda há possibilidade de mais cortes na taxa de juros, já que a possibilidade ficou aberta durante a última reunião do Copom, os cortes vêm com intuito de aquecer a economia. “Os dados seguem ruins e ainda há expectativas de mais cortes de juros, espera-se um aquecimento na economia”. Para Laatus, apesar de aquecer o mercado, o FGTS não é um fator de grandíssimo impacto, já que boa parte do capital liberado deve ser usado para pagamento de dívidas, além disso, há fatores com maior impacto, como as reformas que tramitam no congresso atualmente. “Só o FGTS não deve mudar muita coisa, claro que aquece o mercado, porém há uma série de outros fatores importantes”, finaliza o Estrategista-Chefe.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: