“Trabalhamos com uma expectativa do dólar na faixa dos R$ 4,00 até o fim do ano”

A Reforma da Previdência foi aprovada no Senado após quase um ano de negociações políticas. Os esforços para equilibrar as contas do governo no longo prazo tiveram início em fevereiro de 2019, sendo a principal bandeira carregada pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes. O mercado já precificou a Reforma, ou seja, como era praticamente certo que o texto fosse aprovado, os fluxos de capital aconteceram antes mesmo da aprovação de fato. Assim, tanto no dólar quanto na Bolsa de Valores brasileira, principais indicadores econômicos, não devem ocorrer modificações bruscas. Se aprovadas outras reformas, a avaliação do mercado é de que a percepção de risco da economia brasileira deva mudar, atraindo mais investimento e possibilitando o desenvolvimento da economia.

Para Jefferson Laatus, Estrategista-Chefe do Grupo Laatus, o dólar não tem caído somente pela reforma previdenciária. “Não é a Reforma que está derrubando o dólar, ela já foi precificada. Portanto, o que está derrubando a moeda americana nessa semana é a entrada de capital no país. O que temos é um fluxo de dinheiro que vai entrar no pré-sal e até mesmo dinheiro que pode vir de investimentos pós aprovação. Isso acaba pressionando o dólar pra baixo. Mas, por enquanto, trabalhamos com uma expectativa do dólar na faixa dos R$ 4,00 até o fim do ano”, explica Jefferson Laatus.

Segundo o Estrategista-Chefe, ainda não é possível perceber um cenário onde o dólar figura abaixo dos R$ 4,00. “Ainda precisamos de outros sinais mais positivos para isso acontecer. Como a reforma administrativa, a reforma tributária, e a reforma dos militares, que aparentemente está tendo privilégios, o que pode custar para os governos”. Laatus explica que eventos internacionais também são importantes para consolidar a queda da moeda. “Tivemos notícias positivas do Presidente Americando, Donald Trump, no qual ele reiterou o cessar fogo entre Turquia e Síria, afirmando que vai retirar todas as sanções. Existe também uma expectativa positiva do Brexit, com a possibilidade do no-deal não acontecer. Com isso, temos uma queda do dólar ‘saudável’, mas ainda falta muito para o mercado consolidar uma queda mais expressiva”, finaliza o Estrategista-Chefe do Grupo Laatus.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: