Raízen (RAIZ4) abre caminho para produção de energia através do bagaço da cana; entenda a importância

A empresa é considerada líder global em biocombustíveis e responsável pelo maior IPO deste ano

A Raízen (RAIZ4) anunciou que irá investir na construção de uma nova unidade de geração de energia com o bagaço de cana-de-açúcar, tendo um aporte de R$ 150 milhões. Logo, este feito deve ampliar a capacidade de produção da empresa em 105.000 MWh/ano.

Desta forma, a Raízen se destacou em um leilão realizado na última quinta-feira (30), liderando a venda da fonte de biomassa a partir de cana. Sendo assim, a companhia irá investir nisso e firmar um contrato de comercialização da energia, com valor mínimo de R$ 273/Mwh.

A empresa é considerada líder global em biocombustíveis e responsável pela maior oferta pública inicial (IPO) de ações na B3 deste ano, que movimentou R$ 6,9 bilhões em agosto.

Importância da operação

Em suma, este investimento fortalece o compromisso da Raízen em oferecer soluções e produtos que reduzem a emissão de gases estufas, por meio do aumento da eficácia das suas atividades, contribuindo com a descarbonização da matriz energética global.

No último mês, a Raízen realizou sua primeira venda para comercializar gás natural renovável, o biometano, juntamente com a Yara Brasil Fertilizantes. Ou seja, um dos maiores consumidores de gás natural no Brasil. Logo, o contrato detém um prazo de cinco anos, com um volume de 20.000 m?/dia.

De acordo com a empresa, o abastecimento de biometano surgirá por meio de resíduos do processo de produção de etanol, vinhaça e torta de filtro nos parques de bioenergia do grupo. No entanto, a Yara vai usar o gás na produção de hidrogênio e amônia verde em suas indústrias.

Raízen (RAIZ4) abre caminho para produção de energia através do bagaço da cana; entenda a importância do projeto
Caminhão de transporte da Raízen

Raízen paga dividendos 

Na última quinta-feira (30), foi liberado o pagamento de dividendos da empresa em forma de juros sobre capital próprio, com aporte bruto de R$ 168,1 milhões. Sendo assim, este montante equivale ao valor de R$ 0,016239073 por ação.

Segundo a Raízen, o pagamento se refere ao terceiro trimestre deste ano, entre 1 de julho e 30 de setembro. Portanto, os dividendos serão calculados com base na posição das ações de 5 de outubro, considerando 10.352.509.484 de ações de emissão.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais