Privalia (PRAV3) cancela estreia na Bolsa de Valores devido à alta volatilidade do mercado

A princípio, a companhia anunciou uma oferta primária restrita, ou seja, disponível apenas para investidores profissionais

Com estreia na Bolsa de Valores brasileira (B3) marcada para esta quarta-feira (21), a Privalia, plataforma de e-commerce, comunicou a suspensão da oferta pública inicial.

Em nota divulgada na terça-feira (20), a empresa informou que a suspensão da abertura se deve a volatilidade das condições de mercado verificadas nos últimos dias.

Plano de IPO da Privalia

A princípio, a companhia anunciou uma oferta primária restrita. Ou seja, disponível apenas para investidores profissionais. Portanto, a faixa indicativa de preço estabelecida está entre R$16,30 e R$18,10, com contribuição do BTG Pactual.

Em suma, a Privalia estima emitir 23.235.551 ações e mais 20.348.837 papéis na secundária, com os recursos captados destinados aos acionistas. Dessa forma, a empresa programava arrecadar cerca de R$749,65 milhões.

Os artifícios levantados com a oferta seriam encaminhados ao acionista controlador, dedicação ao marketing da empresa, reforço do capital de giro da companhia e potenciais aquisições de negócios.

Imagem de ilustração plataforma Privalia

Acordo com o BTG Pactual (BPAC11)

No início do mês, a Privalia firmou um acordo estratégico com o BTG Pactual, que define o banco como um investidor âncora para o IPO (Oferta Pública Inicial).

Portanto, o BTG Pactual (BPAC11) é o responsável por toda a operação. No entanto, no acordo estima-se que entre 18 e 36 meses da oferta, o banco pode adquirir mais 5% do capital da Privalia.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais