O e-commerce brasileiro deve se beneficiar bastante do PIX, sistema automático de pagamentos que tem previsão de entrar em vigor no dia 16 de novembro.

A proximidade da data com a Black Friday deve alavancar ainda mais as vendas do varejo online, que deve superar o ano passado. Com o novo sistema, os clientes poderão realizar pagamentos por meio de uma transferência bancária instantânea.

PIX: as 10 maiores dúvidas sobre o novo sistema de pagamentos do governo

PIX: métodos mais comuns

Hoje, os métodos mais comuns de pagamento são por boleto, o que prolonga em até dois dias a confirmação e conclusão da transação, e os cartões, modalidade que exclui muitos brasileiros que não possuem crédito.

Thiago Santos, CEO da e-thinkers e especialista em e-commerce, explica que o PIX será então uma solução ágil e inclusiva, deixando todo o processo muito mais rápido.

“Hoje os cartões excluem grande parte da população, enquanto os boletos possuem um nível de desistência muito alta, o PIX vem para mudar isso. Ao mesmo tempo, tanta agilidade aumentará a cobrança dos clientes por uma logística de entrega ainda mais rápida”, sinaliza o empreendedor.

Transações

No ponto de vista do consumidor, a expectativa é que o PIX chegue para facilitar as transações, como uma solução prática, de fácil uso e segura. Porém, Carlos Terceiro, CEO e fundador da Mobills, startup de gestão de finanças pessoais, alerta que para aproveitar suas vantagens da melhor forma possível é preciso um bom controle financeiro.

“Muitas vezes, os consumidores fazem compras por impulso e a transação de pagamento instantâneo pode aumentar o número de gastos que são feitos sem um planejamento prévio. Para evitar uma situação delicada nas finanças pessoais, é preciso registrar todos os ganhos e gastos, se planejar e ter disciplina para não extrapolar o orçamento”, finaliza Terceiro.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: