Petrobras (PETR4) demite gerente de RH por negociar ações com informações privilegiadas

Também deixou cargo de conselheiro da Transpetro

A Petrobras (PETR4) confirmou que a demissão do gerente executivo de Recursos Humanos ocorrida na segunda-feira (29) se deu por desacordo com políticas que proíbem negociação de papéis da companhia às vésperas da divulgação do balanço financeiro.

Segundo a Reuters, o comunicado veio após a divulgação de notícias na imprensa de que Cláudio Costa negociou ações da empresa durante o chamado “período de silêncio”.

“O gerente executivo de Recursos Humanos foi desligado da companhia na data de hoje”, afirmou a Petrobras, citando seu estatuto que veda negociação de papéis da empresas ligadas a ela nos 15 dias antes da divulgação de demonstrações financeiras.

Costa também deixou o cargo de conselheiro da administração da subsidiária Transpetro.

A Petrobras ainda reiterou que Pedro Brancante, chefe do gabinete da presidência, ocupará a função interinamente, até a indicação de novo executivo para o cargo.

Petrobras (PETR4): justiça extingue ação de hipoteca judiciária da Previ
Petrobras (PETR4): justiça extingue ação de hipoteca judiciária da Previ

Petrobras: de mudança

Futuro presidente da Petrobras, Joaquim Luna já começou a organizar sua mudança do Paraná para o Rio de Janeiro, conforme a coluna Radar, da Revista Veja.

Ao fechar o ciclo em Itaipu, o general acredita ter deixado um legado de corte de gastos e investimentos em obras de desenvolvimento na região da usina.

“Economizamos mais de 2,5 bilhões de reais e investimentos todo esse dinheiro em obras estruturantes no Oeste do Paraná… Pontes, aeroportos, estradas, hospitais, combate ao Covid-19”, diz Luna ao Radar.

Ações

A crise de confiança detonada pela interferência do governo na Petrobras prejudicou a correlação entre as ações da estatal e os preços de seu principal produto de exportação, o petróleo, conforme o Valor Econômico.

Apesar do cenário quase ideal para qualquer outra petroleira no mundo – de câmbio depreciado e commodities em alta -, analistas afirmam que os movimentos de mercado da Petrobras são direcionados em grande medida pelo vaivém em Brasília. Dessa forma, o risco é de que o descompasso continue e possa até emendar com o início do ciclo eleitoral.

Neste ano, as ações da Petrobras acabam perdendo a oportunidade de aproveitar o rali dos preços de petróleo. Enquanto as ações ordinárias da estatal acumulam desvalorização de 27,78% em dólares e 19,24% em reais, os contratos futuros de petróleo estão em caminho quase oposto.

Veja PETR4 na Bolsa:

Petrobras (PETR4): justiça extingue ação de hipoteca judiciária da Previ
Petrobras (PETR4): justiça extingue ação de hipoteca judiciária da Previ
  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais