Petrobras (PETR4): Comitê de Pessoas se reúne hoje para analisar indicação de militar

O Comitê de Pessoas da Petrobras (PETR4) se reunirá na terça-feira (16) para analisar a indicação do general Joaquim Silva e Luna para integrar a companhia, informou a estatal em comunicado publicado nesta segunda-feira.

Luna foi apontado no final de fevereiro pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir os cargos de conselheiro e presidente da Petrobras após o encerramento do mandato do atual CEO, Roberto Castello Branco, com quem Bolsonaro teve atritos relacionados à política de preços de combustíveis da empresa.

“(A reunião tem) até este momento, dentre os itens de sua agenda, a análise da indicação do Sr. Joaquim Silva e Luna para a Petrobras, podendo, ou não, haver manifestação desse comitê nessa data”, afirmou a estatal.

Petrobras (PETR4) diz que pode recuperar até R$ 16 bi após ganhar causa tributária
Petrobras (PETR4) diz que pode recuperar até R$ 16 bi após ganhar causa tributária

Petrobras

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) afirmou que a privatização da Petrobras é uma ideia que ainda precisa ser discutida com muito rigor técnico e político. Para ele, a pauta de privatizações neste momento está concentrada na Eletrobras (ELET3) e nos Correios, com base em propostas encaminhadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro ao Congresso.

“A ordem do dia é Correios e Eletrobras. A Petrobras é uma ideia forjada nesse momento de discussão com vocês, pode eventualmente ser evoluída, mas é preciso ter muito rigor técnico, político de conveniência mesmo, de oportunidade para se evoluir”, afirmou o presidente do Senado durante evento promovido pelos jornais O Globo e Valor Econômico.

Para Pacheco, a discussão sobre a estatal petrolífera precisa considerar a estratégia de mercado e o interesse popular.

Privatização

No mesmo evento, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), sinalizou com a possibilidade de apoiar um processo de privatização da Petrobras no mesmo modelo proposto pelo governo para a Eletrobras.

O Executivo assinou uma medida provisória incluindo a estatal do setor elétrico e suas subsidiárias no Programa Nacional de Desestatização (PND) e condicionando a capitalização à aprovação da MP.

Lira afirmou que toda empresa estatal deve ser avaliada “sem preconceitos” e que o Congresso é o local para isso.

Ao falar da Petrobras, o deputado citou a Operação Lava Jato e apontou que o “grande erro” da operação de investigação foi colocar a responsabilização na empresa e não no “CPF” dos culpados pelos desvios denunciados.

Veja PETR4 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais