Petrobras (PETR4) informa que CEO e diretoria cumprirão mandatos

A Petrobras (PETR4) informou na noite de sexta-feira (12) que o mandato da diretoria executiva será estendido automaticamente até que o conselho de administração da empresa delibere sobre a eleição dos novos presidentes e diretores executivos.

Segundo a Reuters, a nota lembrou que os mandatos do presidente e dos diretores seriam encerrados em 20 de março.

Mas a assembleia de acionistas para escolher os novos conselheiros, incluindo o indicado para ser o novo presidente-executivo, Joaquim Silva e Luna, só ocorrerá em 12 de abril.

O presidente-executivo da estatal integra o conselho e é eleito pelos seus pares.

Com a extensão dos mandatos, deve ser resolvido um hiato entre a saída do atual presidente e a chegada do novo, que ocorreria devido aos trâmites para Luna ser eleito.

Fontes com conhecimento dos trâmites chegaram a dizer à Reuters que a estatal teria que ser comandada por um presidente interino, com o fim do mandado do presidente antes da assembleia.

Além de Luna, o governo indicou novos conselheiros para a Petrobras, uma vez que boa parte dos integrantes do colegiado manifestou sua intenção de deixar o grupo, juntamente com a substituição de Castello Branco, após Bolsonaro indicar um novo presidente-executivo por descontentamento sobre a política de preços de combustíveis da estatal.

Petrobras (PETR4) tem prejuízo no 2º tri; despesas com hedge e PDVs pesam
Petrobras (PETR4) tem prejuízo no 2º tri; despesas com hedge e PDVs pesam

Petrobras

A Petrobras (PETR4) informou na sexta-feira (12) que o montante aprovado como provisão para remuneração de diretores e conselheiros no próximo ano aumentou 8,57%, com base em valor aprovado pelo conselho de administração de até 47 milhões de reais, com impulso dos ganhos variáveis advindos principalmente do lucro de 2020, que foi recorde no quarto trimestre.

Segundo a Reuters, a estatal salientou que a remuneração fixa aos administradores deverá ser mantida para o próximo ano fiscal, algo que vem acontecendo desde 2016, e que o montante reservado para o pagamento da cúpula geralmente não atinge o limite máximo provisionado.

Petrobras

A empresa informou ainda a convocação de uma assembleia geral ordinária de acionistas (AGO) para o dia 14 de abril, que vai deliberar sobre a proposta de remuneração dos administradores, com verba provisionada para o período de abril de 2021 a março de 2022, quando um novo presidente estará à frente da companhia, que também terá parte do conselho renovado.

“Mais uma vez, não será proposto reajuste na remuneração fixa dos administradores da companhia, permanecendo os mesmos valores já praticados desde abril de 2016”, disse a estatal.

A verba provisionada considera o limite máximo de desembolso, incluindo encargos, como é orientado pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais.

“Por isso, a previsão é que o total realizado seja inferior ao aprovado, como ocorreu nos anos anteriores”, ressaltou a empresa em nota.

Em relação à quantia reservada para o período de abril de 2020 a março de 2021, por exemplo, os valores efetivamente pagos totalizarão cerca de 60% da quantia aprovada para o respectivo período na AGO de 2020.

Veja PETR4 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Leia mais