Oi (OIBR3, OIBR4) reporta lucro líquido de R$1,79 bi no 4º trimestre

A empresa de telecomunicações Oi (OIBR3, OIBR4), que está em processo de recuperação judicial, informou na manhã desta segunda-feira (29) que registrou lucro líquido atribuível aos controladores de R$ 1,79 bilhão no quarto trimestre de 2020, revertendo parcialmente o prejuízo líquido de RS 2,26 bilhões que registrou no mesmo período de 2019.

Para o ano inteiro de 2020, a tele teve prejuízo líquido de R$ 10,5 bilhões, em alta de 17,0% sobre o prejuízo líquido de R$ 9,0 bilhões em 2019.

Já a receita líquida da empresa no quarto trimestre de 2020 alcançou R$ 4,77 bilhões, em queda de 2,8% sobre o resultado de um ano antes. No ano inteiro de 2020, a receita da companhia foi de R$ 18,7 bilhões, queda de 6,8% sobre 2019.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de rotina do quarto trimestre ficou em R$ 1,49 bilhão, alta de 5,5% sobre o mesmo trimestre de 2019. Para 2020, o Ebitda de rotina da Oi foi de R$ 5,84 bilhões, um recuo de 2,8% sobre um ano antes.

A dívida líquida do quarto trimestre ficou em R$ 21,7 bilhões, alta de 36,9% sobre o mesmo trimestre de 2019. Para 2020, a dívida líquida da Oi foi de R$ 81,2 bilhões, uma alta de 52,3% sobre um ano antes.

O caixa disponível da companhia no encerramento de 2020 era de R$ 22,6 bilhões, alta de 40,9% sobre 2019.

Oi (OIBR3, OIBR4) reporta lucro líquido de R$1,79 bi no 4º trimestre

Oi: Anatel

As operadoras Oi e TIM receberam autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para utilizarem outras faixas de frequência nas cidade de Uruguaiana (RS) e Foz do Iguaçu (PR).

O pedido foi realizado pelas próprias operadoras, com o objetivo de melhorar os serviços de banda larga e telefonia móvel nos municípios.

A alteração das faixas deve servir para evitar interferências de frequências nas cidades situadas na tríplice fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai.

Segundo a Anatel, as interferências são registradas desde 2009, por causa da incompatibilidade de sinal entre os arranjos de radiofrequência usados pelo Brasil e os países fronteiriços.

A decisão foi tomada pelo conselho diretor da Anatel, na última quinta-feira, 25, e vai permitir que a TIM cumpra o compromisso de cobrir, pelo menos, 20% da área urbana da cidade gaúcha de Uruguaiana.

Veja OIBR3 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais