A empresa de saúde Notre Dame Intermédica anunciou acordo para compra do Grupo Serpram, de Minas Gerais, por R$ 170 milhões.

O Grupo Serpram tem operações em Alfenas, Varginha, Extrema e Pouso Alegre. Em 2019, teve receita líquida de R$ 108,4 milhões. Com a transação, a Notre Dame terá 97% da Serpram e do Hospital Imesa, e 85% do Hospital Varginha.

Notre Dame Intermédica

Serpram

Segundo o a Notre Dame, a Serpram tem uma carteira de 47 mil beneficiários de saúde (96% corporativo/adesão), 10 mil de dental e dois hospitais comum total de 74 leitos (21 de UTI), um em Alfenas, outro em Varginha.

Hospital Santa Brígida em Curitiba

A Notre Dame Intermédica (GNDI3) comunicou que a sua subsidiária Clinipam fechou contrato para a aquisição do Hospital Santa Brígida, em Curitiba (PR).

O preço de aquisição (enterprise value) foi de 48,5 milhões de reais, incluindo o imóvel com aproximadamente 6 mil m² de área construída, equivalente a aproximadamente 700 mil reais por leito.

Montante

O montante foi pago à vista, em dinheiro, descontados o endividamento líquido e uma parcela retida para contingência.

Com a operação, a Notre Dame Intermédica passou a deter, de forma indireta, 97% das ações do Hospital Santa Brígida.

O hospital

O Hospital Santa Brígida opera um hospital materno-infantil com 72 leitos, sendo 15 de UTI, 4 salas obstétricas e 5 consultórios de pronto socorro, além de uma ala diagnóstica com ultrassonografia, endoscopia, radiografia e laboratório de análises clínicas.

Em 2019, o Hospital Santa Brígida apresentou um faturamento líquido de 31,2 milhões de reais.

Procon

O Procon-SP multou a operadora NotreDame Intermédica em R$ 4.378.684,85 em razão da empresa não responder à notificação que pedia informações sobre reclamações sobre pedidos de realização de exames de coleta de dados-19 . Academia EXAME – perdeu o plano de saúde? Aprenda a gerenciar suas contas e saia das dívidas.

Segundo o órgão, a empresa infringiu o Código de Defesa do Consumidor por deixar de prestar informações sobre as questões de interesse dos consumidores, inviabilizando a verificação de eventual irregularidade.

A multa é aplicada pelo meio de processo administrativo e a empresa tem direito à defesa. O valor da multa, de acordo com o CDC, é estimado com base no porte econômico da empresa, na gravidade da infração e na vantagem obtida.

Entenda o caso

A operadora de saúde foi notificada no dia 21 de setembro para apresentar esclarecimentos e documentos sobre reclamações ordenadas no Procon-SP por consumidores para detecção da covid-19. Foi solicitado à NotreDame Intermédica que comprova a devida autorização para a realização dos exames em cumprimento às resoluções da ANS (453/2020 e 460/2020).

Na notificação, o Procon-SP também tinha solicitado a empresa que explicasse se, desde 22 de março, quando foi decretada a quarentena no estado de São Paulo, houve redução da sinistralidade para todos os planos; se houve incidência de reajuste nos planos de saúde por ela ofertados aos consumidores e como se daria a suspensão dos reajustes que porventura houvessem sido exigidos.

O que diz a empresa

Em nota, a NotreDame Intermédica afirmou que acrescentou com “enorme surpresa a informação de que havia sido autuada” e que adicionou a resposta da notificação por e-mail ao Procon.

A companhia disse ainda que já realizou mais de 170.000 exames para detecção de covid-19, tendo assistido toda a sua massa de beneficiários durante a pandemia, assim como agiu em cooperação e parceria com a Secretaria de Saúde de São Paulo, no combate a essa doença.

Veja GNDI3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: