Lucro líquido das empresas com capital aberto recua 36,8% em 2020, diz Economatica

No ano passado, o lucro líquido das companhias somou R$61,917 bi

O lucro líquido das empresas com capital aberto recuou 36,8% no ano passado em relação a 2019, de acordo com um balanço realizado pela Economatica.

No ano passado, o lucro líquido das companhias somou R$ 61,917 bilhões, abaixo dos R$ 97,9 bilhões apurados em 2019.

O levantamento da Economatica contempla 254 empresas não financeiras com dados disponíveis no quarto trimestre de 2020 e 2019. A amostra também não inclui a Petrobras e a Vale porque, segundo a provedora de informações financeiras, “os dados delas acabam distorcendo a amostra”.

No recorte detalhado por empresas e incluindo companhias de todos os setores, os maiores lucros do ano passado foram registrados por Vale (R$ 26,7 bilhões), Itaú Unibanco (R$ 18,9 bilhões), Bradesco (R$ 16,5 bilhões), Santander (R$ 13,4 bilhões) e Banco do Brasil (R$ 12,6 bilhões).

Já os maiores prejuízos foram computados por Azul (-R$ 10,8 bilhões), Suzano (-R$ 10,7 bilhões), Oi (- R$ 10,5 bilhões), Braskem (–6,6 bilhões) e Gol (-R$ 5,9 bilhões).

Lucro líquido das empresas com capital aberto recua 36,8% em 2020, diz Economatica

B3: capital aberto

A B3 informou nesta sexta-feira que, a partir do dia 3 de maio, entrará em vigor uma nova metodologia de elaboração da carteira teórica de ativos que compõe o Índice de BDRs Não Patrocinados – Global (BDRX), indicador do desempenho médio das cotações dos BDRs Não Patrocinados autorizados à negociação na B3.

Em setembro de 2020, foi introduzido ao benchmark um critério mínimo de 30% de presença nos pregões para inclusão dos ativos. “Buscando acompanhar o desenvolvimento do mercado de BDRs, o parâmetro de inclusão será ampliado para 60%”, informa o documento divulgado pela B3.

Para serem selecionados para o índice, portanto, os ativos precisam ter presença em pregão maior ou igual a 60% no período de vigência das três carteiras anteriores, e não estarem classificados como “Penny Stock”, ou seja, cotados abaixo de R$ 1,00.

Para ser considerado para o benchmark, também é preciso que o BDR tenha formador de mercado contratado (um banco que atua como contraparte nas negociações para fornecer liquidez ao ativo).

A ponderação do tamanho dos BDRs no índice se dá pelo seu valor de mercado em reais, com a exposição máxima individual limitada a 20%. Os BDRs da Apple, da Microsoft e da Amazon são os três com maior participação na atual composição do índice, com fatias de 8,5%, 7,3% e 6,4%, respectivamente.

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais