Os acionistas fundadores da Linx (LINX3) estão impedidos de votar na assembleia de investidores da companhia que analisará acordo para a incorporação da companhia pela Stone e a proposta rival apresentada pela Totvs, marcada para novembro, informou a produtora de software nesta segunda-feira.

A companhia enviou fato relevante ao mercado afirmando que a superintendência informou que entende que os acionistas fundadores “encontram-se impedidos” de votar na reunião, marcada para 17 de novembro.

No mesmo comunicado, a Linx afirma que os fundadores da companhia, Nércio José Monteiro Fernandes, Alberto Menache e Alon Dayan pretendem apresentar recurso ao entendimento da superintendência da CVM.

Linx

Totvs

O conselho de administração da Totvs (TOTS3) aprovou, por unanimidade, a extensão da proposta de aquisição, feita à Linx, até 17 de novembro de 2020, conforme deliberação da reunião extraordinária realizada em 07 de outubro.

A guerra entre a Stone (STNE) e a Totvs para levar a Linx permanece aberta, embora a primeira tenha certa vantagem, afirma a Ágora Investimentos em relatório enviado a clientes.

Segundo a corretora, a decisão de não analisar a proposta da Totvs foi seguida de reclamações por parte de outros conselheiros independentes, que acusaram uma suposta falta de imparcialidade.

Voltando às decisões tomadas pela diretoria da Totvs, a empresa tem permissão para captar até R$ 1,5 bilhão em crédito bancário.

“O crédito tem o objetivo de reforçar a liquidez da companhia para a execução de investimento em linha com estratégias de médio e longo prazo”, conclui o comunicado divulgado.

Veja LINX3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: