IRB Brasil (IRBR3) paga R$ 27 mi em dividendos aos acionistas após dois anos sem novas distribuições

Desde 2019, os acionistas da empresa aguardam uma nova distribuição de proventos

Pela primeira vez, após os investidores do IRB Brasil (IRB3) sofrerem com a crise da companhia em 2020, os acionistas receberão uma quantia em dividendos.

Desse modo, o ressegurador deve entregar aos investidores R$ 0,3101001 por ação ordinária para aqueles que investiram até o dia 14 de agosto de 2020. Logo, este valor refere-se às atividades de 2019, com os ajustes da taxa Selic realizados neste mesmo ano. 

Pagamento de dividendos

Em suma, este valor será distribuído pelo IRB Brasil como juros sobre capital próprio. Para aqueles acionistas que não possuem regalias de isenção, existe o desconto de 15% do imposto.

Além disso, para o próximo pagamento, que ainda não tem data estabelecida, o IRB Brasil concedeu mais R$ 0,10 em proventos aos acionistas.

Logo, a distribuição desses proventos se refere ao ano em que o ressegurador registrou um lucro de R$ 1,21 bilhão. Por completo, este pagamento em dividendos chegará a R$ 27,28 milhões.

Vale destacar que, ao longo destes dois anos, desde o último pagamento em proventos, os acionistas da empresa vem sofrendo decepções.  

Volatilidade do IRB Brasil 

O ano de 2019 foi excelente para a empresa, que registrou um crescimento importante com a abertura de oferta na B3, sendo um sucesso na Bolsa de Valores.

Assim como, o IRB Brasil foi marcado por vários acontecimentos, como rumores sobre a possibilidade da entrada de Warren Buffett na empresa. A saber, em 2017, a ação foi avaliada em R$ 9,08, saltando para R$ 40 em janeiro de 2017.

Em contrapartida, em fevereiro de 2020, as ações despencaram 25%, alcançando no mês seguinte uma desvalorização de mais de 70%. Desde então, os papéis enfrentam fortes emoções com a volatilidade dos ativos.

IRB Brasil (IRBR3) paga R$ 27 mi em dividendos aos acionistas após dois anos sem distribuições
Logo do ressegurador IRB Brasil

Resultado do IRB Brasil no 2T21

Além da diminuição das dívidas e o pagamento sobre o JCP, o IRB Brasil anunciou que seu  lucro permaneceu parcialmente compensado por causa do efeito não recorrente de despesas, tributos e administrativas, que se compensam pelo crédito de impostos na ordem. Ou seja, cerca de R$ 14,4 milhões.

Em resumo, ao longo do segundo trimestre, o IRB Brasil registrou resultados de subscrição negativos, quase R$ 337,2 milhões, tendo um total de 67,5% a mais do que o registrado em 2020 (R$ 1,037 bilhão).

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais