Com a chegada de um novo ano, desejos e metas, muitas pessoas tomam a decisão de começar a organizar a vida financeira. Sendo assim, a procura pelos melhores investimentos para iniciantes em 2021 torna-se enorme.

O novo investidor pode acabar perdido ao se deparar com o atual cenário econômico impactado pela crise do coronavírus (covid-19). Por isso, é importante entender como a pandemia está afetando o mercado financeiro e determinados investimentos.

Investimentos de baixo risco

Para o iniciante, um dos principais requisitos que deve ser levado em conta é o risco do investimento. Mesmo que o cenário não se mostre favorável para alguma aplicação, deixando sua rentabilidade baixa, ela ainda pode ser útil para aqueles que desejam entrar no mercado financeiro de forma mais segura.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é o investimento mais tradicional do mercado brasileiro, pois o investidor está emprestando dinheiro para o próprio governo através da compra de títulos do tesouro nacional. Após o período acordado, o valor aplicado inicialmente é devolvido junto à uma rentabilidade, que aumenta de acordo com a Taxa Selic.

O Brasil se encontra no momento com a menor taxa da história, rendendo apenas 2% ao ano. Por conta disso, muitos fugiram deste investimento em 2020. No entanto, para os investidores iniciantes esta ainda é a aplicação mais segura do mercado.

Além disso, a previsão é que a Selic suba, pelo menos, 1%, em 2021, o que deixará investimentos do tesouro, com rentabilidade atrelada diretamente ao índice, mais atrativos. 

CDBs 

O CDB, Certificado de Depósito Bancário, funciona de forma bem parecida com o Tesouro Selic. É como se o investidor estivesse emprestando dinheiro para o banco em troca de certa rentabilidade em cima do valor aplicado.

Existem diversas opções de instituições financeiras para fazer a aplicação e cada uma decide quanto do CDI, índice que representa um valor pouco abaixo da Taxa Selic, irá pagar. O recomendado são aqueles que pagam mais de 100% do CDI, pois terão uma rentabilidade maior.

Debêntures

Os investimentos em debêntures consistem em comprar um título de crédito oferecido por alguma empresa. Basicamente, este papel atua da mesma maneira que os títulos públicos, como o Tesouro Direto e os CDBs de bancos.

A diferença é que o investidor está emprestando dinheiro para uma empresa. Esta, pode oferecer um retorno pré-fixado, pós-fixado ou híbrido, com duração de 3 anos ou mais.

Normalmente, as debêntures servem para a empresa cobrir alguma obra ou projeto. Porém, por conta da pandemia, muitas companhias estão colocando estes títulos no mercado para se manterem erguidas durante a crise.

Fundos Imobiliários

Os Fundos imobiliários atuam no ramo de construções, prédios e condomínios, garantindo uma rentabilidade mensal para o investidor.

Em outras palavras, uma porcentagem do imóvel é comprada e, em troca, parte da renda adquirida através dos aluguéis e valorização será devolvida para o comprador.

A vantagem deste tipo de investimento é que os fundos possuem um gestor experiente que irá garantir a segurança e rentabilidade das aplicações. Além disso, com o tempo, os imóveis podem se valorizar, aumentando a rentabilidade.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: