Em janeiro de 2020, a Infinox Capital assumiu o posto de formadora de mercado futuro de moedas estrangeiras pela B3. Após 10 meses desde o início da atuação no programa, a tranding inglesa anuncia mais um passo na expansão de seus negócios globais: a entrada no programa de Market Making de micro contratos de S&P na bolsa brasileira.

“Atuamos em 100% do pregão, dando liquidez para os pares de moedas nas transações de câmbio na B3. Somos os únicos formadores de mercado na tela, com preços competitivos e ampla profundidade no livro de ofertas, resultando em uma maior liquidez para investidores e especuladores locais. Além disso, temos tecnologia, velocidade, pessoas e muita experiência para podermos ajudar a formar esse mercado na terceira maior bolsa de futuros no mundo, a B3”, explica o Head de Expansão global da INFINOX, Sam Chaney.

Bolsa de Valores

WSP

Com o código futuro de negociação “WSP”, o micro contrato futuro de S&P 500 permite negociar hoje a expectativa de preço futuro para o portfólio de ações, suprindo a demanda de investidores locais que buscam exposição na variação cambial e no índice internacional. O tamanho deste contrato é dado pelo valor do índice S&P 500 multiplicado por US$ 2,50, tornando-o 20 vezes menor que o contrato padrão. 

O S&P que é um dos índices de maior representatividade no mercado financeiro mundial, é calculado e divulgado pela Standard & Poor’s, e reflete um portfólio diversificado de ações blue chips de 500 companhias norte-americanas líderes nos principais setores econômicos, como tecnologia, financeiro, saúde, consumo, indústria, materiais e serviços públicos.

Mercado

Consequentemente, o índice acaba se tornando um indicador geral do mercado de ações norte-americana, dado que o valor de mercado das ações cobertas pelo índice equivale a aproximadamente 80% da capitalização de mercado das companhias negociadas na bolsa de ações de Nova Iorque (NYSE).

“Operamos com a mesma tecnologia e expertise que possuímos em moedas, estamos no book de ofertas pelo menos 80% do tempo de negócios, com spread – diferença entre o preço de compra e venda de uma ação, título ou transação monetária-, apertados e alta velocidade de execução. O produto ainda é relativamente novo, com um pouco mais de dois anos e já é um sucesso”, afirma o CEO da INFINOX, Robert Berkeley.

53 mil trades

Apenas nos meses de setembro e outubro, o número de negócios feitos no micro contrato de S&P ultrapassaram 53 mil trades, o dobro de negócios feitos quando comparado com o primeiro quarto do ano. O volume nos últimos três meses foram de $5.61bn contra $2.2bn no último período, equivalente a um aumento de quase 230%, de acordo com a tranding inglesa.

 A equipe da tranding inglesa está muito confiante com a entrada no programa de market making de S&P na B3. “Temos um mercado gigantesco a ser desenvolvido por lá. São mais de $70bn negociados por dia apenas nos dois maiores contratos na exchange, o mini contrato do Ibovespa (WIN) e o Dollar (WDO). Acreditamos muito que uma parte desse mercado deve migrar para contratos semelhantes como as moedas, que também tratam-se de “mini contratos, notional 5x menor que o contrato cheio”, explica Victor Hugo Cotoski, responsável por novos negócios na divisão de tranding na Infinox.

https://youtu.be/b9QwtarPBjU
Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: