Ferbasa (FESA4) reporta lucro líquido de R$37,5 mi no 4º tri, alta de 226,1%

A Companhia de Ferro Ligas da Bahia (Ferbasa), listada sob o ticker FESA3 e FESA4, reportou lucro líquido de R$ 37,5 milhões no quarto trimestre de 2020 ante o prejuízo de R$ 1 milhão em igual período do ano anterior, conforme relatório encaminhado ao mercado.

De acordo com o documento, o lucro líquido consolidado em 2020 totalizou R$ 70,0 milhões, representando uma redução de 68,4% em relação a 2019, segundo informou a Ferbasa.

Ferbasa (FESA4) vai adquirir energia elétrica da AES Brasil (TIET11) a partir de 2024

Ferbasa: balanço

No balanço, a companhia elencou que o lucro líquido de 2019 foi positivamente impactado em R$ 197,1 milhões em função do trânsito em julgado da ação para exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da COFINS.

Já a receita líquida da Ferbasa totalizou R$ 1.622,0 milhões em 2020, perfazendo um acréscimo de 26,8% quando comparado a 2019. “Esse resultado decorre da valorização de 30,0% no dólar médio praticado, do crescimento de 20,4% no volume de vendas e da redução de 14,4% no preço médio, em dólar, dos principais produtos da Ferbasa”.

Ferbasa: 4TRI20

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), por sua vez, foi de R$ 406,8 milhões, equivalentes a 25,1% de margem EBITDA, registrando um aumento de 68,3% em comparação a 2019, cujo EBITDA atingiu o montante de R$ 241,7 milhões, e margem de 18,9%.

Em relação ao volume de vendas, foram comercializadas 268,1 mil toneladas de ferroligas, volume 20,4% superior a 2019.

“O resultado foi influenciado tanto pelo incremento de 59,3% nas vendas para o mercado externo, quanto pela retração de 9,9% nos volumes destinados ao mercado interno. Vale enfatizar que as quantidades totais transacionadas no 4T20 aumentaram 25,7% em comparação ao 3T20”.

AES

Vale ressaltar que em fevereiro deste ano e em conjunto com a AES Tietê (TIET11), a empresa assinou um acordo para o fornecimento de energia elétrica por 20 anos.

Em dois fatos relevantes publicados pelas empresas, foi detalhado que a AES Tietê entregará 80 MW médios de energia elétrica para a empresa baiana até 2044.

A entrega da energia começara em 2024 e será exclusivamente gerada a partir de parques eólicos.

A geração ocorrerá no Complexo Eólico Cajuína, que será instalado no Rio Grande do Norte. A construção do parque iniciará no próximo ano.

O empreendimento terá capacidade instalada de 165 MW e geração média de 92 MW.

A energia será utilizada em substituição ao atendimento atual da Ferbasa, que destacou que o contrato não representa aumento da capacidade produtiva. Para a companhia, a estratégia e de assegurar energia elétrica no longo prazo para redução do custo de aquisição do insumo.

O contrato assinado entre as empresas havia sido antecipado ao mercado em 12 de janeiro, quando a AES Tietê e a Ferbasa informaram terem fechado um Memorando de Entendimentos com os termos do acordo final.

Veja FESA4 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Leia mais