Energisa (ENGI11) adquire financiamento de R$1,48 bi com BNDES

A Energisa (ENGI11) informou ter obtido um empréstimo de R$ 1,487 bilhão para o financiamento das operações de nove distribuidoras da companhia.

Segundo fato relevante divulgado na quinta-feira (11), as distribuidoras Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Sergipe, Sul-Sudeste, Tocantins, Acre, Minas Gerais, Paraíba e Rondônia serão contempladas com empréstimos com prazo de 14 anos e juros de 3% a 3,5%.

Ontem, os papéis da Energisa fecharam a R$ 51,11, com alta acumulada de 8,7% nos últimos trinta dias e queda de 9,32% nas últimas 52 semanas.

Energisa

Termoelétricas

Considerada o “pulmão do mundo”, a região amazônica convive até hoje com termoelétricas caras e poluentes a diesel, tanto pela impossibilidade de acesso por causa da floresta quanto pela falta de investimentos das distribuidoras estatais que atuavam na região e somente em 2018 passaram à iniciativa privada.

Até 2025, a Energisa vai concluir um programa de desligamento dessas térmicas no Acre e em Rondônia, áreas de concessão da empresa, com as unidades sendo substituídas por linhas de transmissão e subestações, onde for possível, ou por sistemas de geração solar distribuída nas comunidades ribeirinhas, em parceria com o programa governamental Mais luz para a Amazônia. 

Mesmo onde houver apenas uma família morando, informa o presidente do grupo Energisa, Ricardo Botelho, um sistema solar será instalado, permitindo que as famílias tenham acesso a aparelhos eletrodomésticos e internet e desenvolvam negócios. O programa, que soma investimentos de R$ 1,2 bilhão, começou em 2019 e prevê tirar do sistema 19 termoelétricas a diesel, ou 169 megawatts (MW), evitando emissões de 502 mil toneladas de CO2 por ano na atmosfera.

Este ano serão investidos R$ 950 milhões nas duas distribuidoras, sendo que cerca da metade virá do programa do governo para melhorar a vida da região. Mais de 400 mil pessoas serão beneficiadas em 16 municípios. Ao fim do programa, quando a última térmica for desligada, as contas de luz dos brasileiros terão uma economia anual de R$ 665 milhões, referentes à suspensão dos subsídios concedidos para evitar que o alto custo da operação das térmicas seja totalmente repassado para as tarifas.

Veja ENGI4 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais