O dólar tinha variação discreta ante o real nesta sexta-feira (20), mas já chegou a cair 0,52% mais cedo, caminhando para registrar perda semanal na esteira do ânimo global sobre o desenvolvimento de vacinas para a Covid-19 e um dia depois de o ministro da Economia, Paulo Guedes, voltar a demonstrar otimismo sobre a economia.

Às 9:18, o dólar recuava 0,05%, a 5,3106 reais na venda, enquanto o dólar futuro de maior liquidez tinha variação positiva de 0,08%, a 5,3110 reais.

Na última sessão, o dólar spot registrou queda de 0,45%, a 5,3131 reais na venda.

O Banco Central anunciou para esta sexta-feira leilão de swap cambial tradicional para rolagem de até 12 mil contratos com vencimento em abril e agosto de 2021.

Dólar

Banco Central

Em um período do ano que o mercado já costuma sofrer com saída de recursos, o Banco Central está acompanhando de perto o mercado de câmbio para definir sua atuação na oferta de liquidez em moeda estrangeira.

Diretor de política monetária do BC, Bruno Serra Fernandes deixou claro que a instituição atuará para suavizar a pressão de uma compra massiva de dólares pelos bancos, devido ao ajuste no “overhedge”, caso o mercado não consiga absorver sozinho essa demanda.

Intervenção

Segundo ele, o BC já começou a preparar o terreno para uma possível intervenção. De acordo com Serra, uma mudança recente na comunicação indica que a autoridade monetária poderá vender dólares no mercado futuro se o mercado não tiver profundidade para absorver uma demanda de US$ 15 bilhões esperada dos bancos.

Para o executivo, o comunicado de dias atrás deixa claro que, diferentemente das rolagens padrão de swap, desta vez o BC sabe que existe um volume extraordinário. Isso porque, frisou, a grande diferença em relação a outros momentos de pressão no mercado é que este evento é “mais previsível do que costumeiramente”.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: