CSN (CSNA3) compra unidade brasileira da LafargeHolcim por US$ 1,025 bilhão

A companhia deve ampliar sua capacidade produtiva atual de 10,3 mi de toneladas de cimento por ano

Nesta sexta-feira (10), a CSN Cimentos, que faz parte da Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3), divulgou a aquisição da empresa suíça LafargeHolcim. O valor da negociação foi de US$ 1,025 bilhão. 

Desse modo, a transação consiste em cinco plantas integradas de produção de cimento que operam no Brasil, quatro estações de trituração e seis unidades de agregação. Assim como, 19 unidades de mistura de concreto.

Em abril, foi noticiado que a LafargeHolcim estava à procura de um comprador para atuar nas suas operações no país. Em seguida, o controlador da CSN Cimentos apresentou interesse na oferta. Posto que, a Lafarge já tinha 10% do seu negócio no segmento dentro do mercado brasileiro.

Negociação para LafargeHolcim

De acordo com a companhia suíça, a venda no Brasil faz com que a mesma recupere o endividamento e fortaleça seu balanço no país. Além disso, os recursos de investimentos enviados pela empresa de cimento serão utilizados para investir na área de soluções e produtos.

A LafargeHolcim tenciona seguir atuando na América Latina, uma vez que realizou novos investimentos na Argentina e México este ano. No início deste ano, a empresa já tinha também 1400 funcionários na filial brasileira da companhia, com operações de cimento e concreto. 

Em suma, a venda do negócio é mais uma execução para a companhia se tornar líder global em soluções inovadoras e sustentáveis, segundo o CEO da empresa suíça.

“Estamos satisfeitos por termos encontrado na CSN um comprador responsável, que vai desenvolver a unidade brasileira a longo prazo”, comemora Jan Jenisch, CEO da LafargeHolcim.

Cimentos da CSN

Efeitos para CSN Cimentos

A propósito, esta é a segunda aquisição da companhia este ano, que tenciona a expansão do negócio. Em junho, comprou a Elizabeth Cimentos e a Elizabeth Mineração por R$ 1,08 bilhão. Logo, ampliou sua capacidade de produção em 1,3 milhão de toneladas.

Desse modo, com a nova aquisição, a CSN Cimentos amplia sua capacidade produtiva, de 10,3 milhões, para 16,3 milhões de toneladas ao ano. Através de suas unidades no Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste do país. Além de uma grande reserva de calcário de excelente qualidade e unidades de concreto e agregados.

Portanto, a compra faz parte do plano estratégico de expansão da companhia e visa mostrar a capacidade de se destacar no setor. Visto que, se encontra em fase de recuperação do consumo de cimento no país.

Este ano, a CSN Cimentos planejou uma possível oferta pública. No entanto, decidiu aguardar para seguir com a operação de estreia na Bolsa de Valores.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais