CPFL (CPFL3) aprova pagamento de R$ 1,7 bilhão em dividendos; saiba quem pode receber

A data do pagamento não foi divulgada, apesar disso, a companhia garantiu que o deve ocorrer até dia 31 de dezembro

Nesta quinta-feira (12), a CPFL Energia (CPFE3) aprovou o pagamento de R$ 1,730 bilhão em dividendos aos acionistas. Portanto, o valor por ação ordinária estabelecido é de R$ 1,501834847. 

Contudo, com o desconto de 15% do imposto de renda, cada ação passa a valer R$ 1.27655961995. A data do pagamento ainda não foi divulgada, apesar disso, a empresa garantiu que o deve ocorrer até dia 31 de dezembro deste ano.

Pagamento em dividendos

“O pagamento de dividendos será efetuado em data específica a ser oportunamente informada aos acionistas e ao mercado. Sem a aplicação de atualização monetária ou incidência de juros entre a data de declaração e a data do efetivo pagamento”, diz o documento.

Nesse sentido, os acionistas que possuem o direito de receber os dividendos da CPFL Energia são aqueles que tiverem ações compradas até dia 31 deste mês. 

Logo, com início de setembro, os ativos passam a ser negociados “ex-juros“. Isto é, os acionistas não atribuem o direito de receber os proventos da CPFL.

CPFL (CPFL3) aprova pagamento de R$ 1,7 bilhão em dividendos
Sede da CPFL Energia no Brasil

Lucros do 2T21

Em suma, a CPFL Energia reportou um lucro líquido de R$ 1,126 bilhão no segundo trimestre. Ou seja, um crescimento de 143,6% em comparação com o mesmo período em 2020.

Por certo, o lucro antes dos descontos de impostos e Ebitda alcançou R$ 2,054 bilhões. Portanto, em relação à base anual, teve uma valorização de 70% na companhia.

A receita líquida da empresa de energia, entre o período de abril e junho, foi de R$ 8,813 bilhões, alavancando 34,3% na base anual. Já os investimentos, subiram em 57,2%, indo para R$ 1,019 bilhão.

Crescimento da empresa

De acordo com CPFL, o crescimento da empresa se deu nas vendas de energia na zona de concessão que, ao todo, registrou 16.881 gigawatts-hora.

Em contrapartida, nesse trimestre, a companhia reportou uma dívida líquida de R$ 15,633 bilhões. Ou seja, houve um aumento de 6,7%.

Nesse sentido, um executivo da CPFL aponta que a valorização ocorreu na classe industrial, que cresceu 27,4%, em razão da recuperação do setor industrial. 

Além disso, em relação aos dados anuais, o segmento comercial reportou um crescimento de 14,1%. No entanto, segue com valor negativo.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais