A CM Capital divulgou sua carteira recomendada de ações para janeiro. O portfólio se mantém inalterado e com os seguintes ativos: Azul (AZUL4), Bradesco (BBDC4), Gerdau (GGBR4), Simpar (SIMH3), Marfrig (MRFG3), Natura (NTCO3), Sinqia (SQIA3) e Vale (VALE3).

De acordo com a gestora, a carteira montada com exclusividade pela Eleven Financial e subiu 7,22% em dezembro até o dia 28 ante alta de 9,39% do Ibovespa. Desde o início da estratégia, em 6 de janeiro, o portfólio acumulou alta de 3,60% e o índice, de 1,92%.

FIIS: fundo imobiliário pode se equiparar à bolsa em cinco anos, diz jornal

Ações: Azul (AZUL4)

“Mantivemos a Azul na carteira, pois a companhia conseguiu se adaptar à crise mesmo diante das adversidades. Ela cresceu a receita com transporte de cargas durante a pandemia e nossa expectativa é que essa participação se torne cada vez mais relevante nos próximos anos”, disse.

Para a empresa, outro ponto positivo é que, apesar da desvalorização do real, o custo com combustível de aviação por litro deverá apresentar redução ao longo de 2021, podendo trazer ganhos de margem.

Ações: Bradesco (BBDC4)

Conforme relatório, o banco sinalizou a expectativa de uma redução nominal de despesas ao longo de 2021, melhorando a eficiência operacional.

Além disso, está fortalecendo os canais digitais e diminuindo o número de agências, com redução total de 1.100 agências em 2020, sendo que 400 foram encerradas e 700, convertidas em unidades de negócios (o que gera uma redução de custos em torno de 30% a 40%).

“Recentemente o Banco Central liberou o pagamento de até 30% do lucro como dividendo, ante o limite de 25% anterior. Para 2021 esperamos o retorno do payout aos patamares pré-crise.”

Simpar (SIMH3)

A Simpar, por meio da sua controlada CS Brasil, arrematou duas áreas no porto de Aratu, localizadas na cidade de Candeias, na Bahia, surpreendendo o mercado. O desembolso será de R$ 62,5 milhões e os projetos ainda necessitam de investimentos da ordem de R$ 400 milhões.

A CS Brasil, que estava reduzindo a sua exposição a concessões de transporte de passageiros e aumentando os investimentos na gestão e terceirização de frotas para o setor público, agora adiciona uma terceira vertical de atuação ao seu portfólio.

Marfrig (MRFG3)

“Apesar do receio do mercado quanto às margens devido ao aumento do preço da arroba bovina, acreditamos que as ações dos frigoríficos estão demasiadamente descontadas uma vez que estão conseguindo repassar os preços. Em nossa visão, a forte demanda por carne bovina deverá continuar nos próximos anos com o déficit de proteínas provocado pela China, que desbalanceou o equilíbrio no mercado global de proteínas e deverá sustentar o maior volume de vendas da Marfrig”, declarou.

Gerdau (GGBR4)

Para 2021, a Gerdau espera um aumento de 6% a 7% do consumo nacional de aço. Essa perspectiva, aliada à forte demanda da China por seus produtos, faz com que a CM continue com uma visão positiva para a empresa.

Vale (VALE3)

A Vale tem apresentado mudanças em sua postura em relação à prevenção de acidentes e está focada em melhorar os padrões de ESG. O preço do minério apresentou uma forte valorização nos últimos meses, acompanhado pela ação da Vale. “Em nossa visão, estamos entrando em um novo ciclo positivo de commodities que deverá beneficiar as produtoras como a Vale.”

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: