Cedro Capital aporta R$ 2 milhões na startup de viagens OnFly

A Onfly, startup mineira de viagens corporativas e gestão de despesas, acaba de anunciar o recebimento de um aporte de R$ 2 milhões da Cedro Capital, Gestora de Recursos sediada em Brasília (DF) e com foco de atuação na região central do Brasil.

O investimento, que chama atenção em meio à crise de saúde global, fornece à Onfly a liquidez necessária para continuar sua trajetória de crescimento – iniciada em 2018 -, apesar do impacto causado pela pandemia de Covid-19. Também permite que a empresa continue a investir em tecnologia para garantir que esteja bem posicionada à medida que as viagens retornam.

Cedro Capital aporta R$ 2 milhões na startup de viagens OnFly

Chamou a atenção

Alessandro Machado, sócio e diretor da Cedro Capital, conta que a Onfly chamou a atenção em 2019 com alguns aspectos de posicionamento de mercado como agência corporativa digital, qualidade da plataforma em termos de usabilidade e competitividade de preços. “Fomos clientes antes de decidir investir. A empresa veio mostrando crescimento consistente e os números validaram nossa expectativa”, conta.

Outro aspecto importante para o aporte foi a tração de crescimento apresentada em 2019, como aponta Machado: “Quando veio a pandemia, percebemos a aceleração da digitalização dos serviços em vários setores, do varejo à educação, e então focamos na oportunidade. Quando as viagens corporativas retomarem ao estado normal, as empresas voltarão mais digitais do que nunca e a Onfly está pronta”.

Crescimento

Marcelo Linhares, cofundador da Onfly ao lado de Elvis Soares, revela que o primeiro contato com a Cedro Capital aconteceu em janeiro de 2020, mas como a empresa estava crescendo bastante, naquele momento não fazia sentido o aporte. Segundo ele, a startup movimentava mensalmente R$ 1,8 milhão. Contudo, com a pandemia, o cenário mudou.

“Nosso setor foi um dos mais atingidos devido ao surto da Covid-19. As viagens de negócios quase pararam durante a pandemia, forçando muitas empresas a realizar reuniões virtuais por conta das restrições. O pior mês de vendas foi abril de 2020, quando as empresas praticamente zeraram suas viagens”, conta.

Meses de negociação

Em junho a negociação foi retomada, processo que durou cinco meses. A partir de agora, as expectativas não poderiam ser melhores, já que o Brasil retomou cerca de 50% do volume de passageiros, de acordo com a Skift Research, e a tendência é crescimento. “Mesmo com 60% ou 70% do volume do passado, a Onfly terá um grande mercado para explorar empresas que buscarão eficiência, digitalizando seus processos de viagens”, diz Alessandro Machado, da Cedro Capital.

Para este ano, a partir desse investimento, a perspectiva é movimentar R$ 45 milhões em viagens, volume cinco vezes maior do que o ano passado, que fechou em R$ 8,5 milhões.

Investimento

Com o investimento, segundo o CEO da Onfly, o objetivo agora é ganhar visibilidade no mercado. “Estamos bem alinhados em relação às nossas metas e otimistas com a chegada da vacina. Acreditamos em um crescimento exponencial, principalmente no segundo semestre. Trabalhamos na evolução constante da plataforma com o lançamento de quatro a cinco novas funcionalidades por mês, estamos contratando profissionais de tecnologia, marketing, vendas e automatizando os processos operacionais. Até 2025 esperamos um faturamento de R$ 1 bilhão, de olho no volume da Decolar e Booking.

Atualmente há um grande volume de viagens corporativas compradas nas OTAs – agências de turismo online – e nos sites das companhias aéreas. Estes portais foram feitos para atender o mercado de lazer e não o cliente corporativo, que tem necessidades específicas”. Para isso, Marcelo Linhares e Elvis Soares contam, também, com Daniel Bento, ex-CEO da Decolar, no papel de advisor.

  • Só clique aqui se você já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais