BR Distribuidora (BRDT3) reporta lucro líquido de R$3,148 bi, no 4º tri, considerado recorde

A BR Distribuidora (BRDT3) reportou lucro líquido recorde no quarto trimestre ao marcar R$ 3,148 bilhões , conforme relatório encaminhado ao mercado.

De acordo com o documento, o montante foi puxado por efeitos não recorrentes, enquanto as vendas do período subiram ante um patamar que tinham antes da pandemia da Covid-19.

Também pelo reconhecimento dos créditos do PIS/Cofins, com contribuição positiva de R$ 647 milhões no período, enquanto o ganho atuarial por uma mudança do plano de saúde atingiu R$ 2,13 bilhões, impulsionando o lucro.

BR Distribuidora (BRDT3): lucro cai mais de 37% no 2TRI
BR Distribuidora (BRDT3): lucro cai mais de 37% no 2TRI

BR Distribuidora

Segundo a Reuters, mesmo sem esses efeitos não recorrentes, o resultado líquido trimestral “foi substancialmente maior que seu equivalente no quarto trimestre de 2019”.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 1,6 bilhão no último trimestre de 2020, alta de 70,6% na comparação anual, enquanto a receita líquida subiu 0,6%, a R$ 24,3 bilhões.

O volume de vendas, por sua vez, avançou 3,5% no período, para 10,278 bilhões de litros, em função do aumento das vendas no ciclo otto (+7,1%), diesel (+5,7%) e óleo combustível (+76,1%), que compensaram a queda no volume de vendas de querosene de aviação.

“Este foi o primeiro trimestre em que os volumes consolidados voltaram a apresentar crescimento em relação ao seu equivalente pré-pandemia”, disse a distribuidora, em comunicado.

Balanço

Em termos anuais, a BR Distribuidora teve lucro líquido de R$ 3,9 bilhões em 2020, alta de 76,6%, enquanto o Ebitda ajustado totalizou R$ 3,811 bilhões, avanço de 21,7%.

O volume de vendas ao longo do ano passado, afetado pela pandemia de Covid-19, recuou 8,5% frente ao registrado em 2019, somando 36,75 bilhões de litros.

“O ano de 2020 foi o primeiro ano completo desde a privatização da BR e, mesmo com todos os desafios impostos pela pandemia, conseguimos avançar rapidamente em nossa agenda de transformação”, disse a empresa, que pretende se tornar “cada vez mais relevante nas áreas de energia, mobilidade e conveniência”.

A BR Distribuidora fechou 2020 com dívida líquida de R$ 4,7 bilhões, alta de 6,3% no ano a ano, embora o indicador dívida líquida/Ebitda ajustado tenha recuado de 1,4 vez ao final de 2019 para 1,2 vez no último trimestre do ano passado.

Veja BRDT3 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Leia mais