Auxílio emergencial 2021: saiba tudo sobre o novo calendário de pagamentos


Desde o agravamento da crise do coronavírus (covid-19) no início de 2021, espera-se a aprovação de um novo calendário de pagamentos do auxílio emergencial. Principalmente, por conta da volta dos lockdowns – isolamento social – ao redor do país.

Recentemente, o Ministério da Cidadania anunciou que as pessoas poderão consultar se estão aptas a receber o benefício a partir do dia 1º de abril. Contudo, a maior parte das informações sobre o programa emergencial já estão disponíveis.

Início dos pagamentos

A primeira leva de pagamentos do auxílio emergencial de 2021 começa em abril. Segundo o Ministério da Cidadania, ainda não existem datas definidas para toda a população, e o calendário oficial sai apenas no início do próximo mês.

No entanto, para beneficiários do programa Bolsa Família, os pagamentos começam a ser creditados no dia 16 de abril. Os cadastrados receberão apenas o benefício com maior valor em dinheiro. Ou seja, os mesmos contarão a quantia atual que recebem ou a do auxílio, sendo válida aquela que oferece mais vantagem.

Valor das parcelas

O governo estabeleceu quatro novas parcelas com o valor médio de R$ 250, podendo variar entre R$ 150 e R$ 370, o que depende do perfil de cada pessoa.

De acordo com os critérios exigidos, famílias compostas por mães solteiras irão receber R$ 350. Por outro lado, famílias formadas tanto pela mãe quanto pelo pai receberão R$ 250, e aqueles que moram sozinhos ganharão R$ 150.

Quem recebe

O número de beneficiários será reduzido de 68 milhões para 46,6 milhões. Seguindo os novos critérios, o auxílio inclui apenas famílias com renda total de até três salários mínimos (R$ 3.300) e renda mínima por pessoa inferior a meio salário mínimo (R$ 550).

Antes de tudo, apenas uma pessoa da casa irá receber o dinheiro, mas a mesma não pode ter emprego formal, ser residente médico, beneficiário de bolsa de estudo, estagiário, multiprofissional ou dono de bens de valor superiores a R$ 300 mil. Além disso, não deve ter tido rendimentos tributáveis acima de R$ 28,56 mil e rendimentos isentos acima de R$ 40 mil em 2019.

Novas inscrições

A nova rodada de pagamentos do auxílio emergencial de 2021 não permiti novas inscrições. Segundo o governo, serão usados como base os dados das pessoas que se inscreveram no programa no ano passado, cadastradas no portal da Dataprev.

Entretanto, aqueles que receberam o benefício ano passado não estão automaticamente incluídos no programa. Para receber a nova parcela é preciso ser aprovado em outra análise, que leva em conta as novas regras.

Recebimento das parcelas

Assim como em 2020, o dinheiro será creditado por meio da poupança digital da Caixa, no aplicativo de celular Caixa TEM. Para quem recebe o Bolsa Família, o benefício é pago da mesma forma que o crédito do programa.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais