5 dicas de educação e planejamento financeiro para estudantes

Especialista do Pravaler apresenta boas práticas financeiras para quem pretende iniciar os estudos

Aos jovens, alcançar o ensino superior, normalmente, é um objetivo comum entre eles. Uma vez que, o mercado de trabalho está contratando cada vez mais jovens com ensino superior completo. 

De acordo com o Censo da Educação Superior 2019, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no Brasil existem ao todo, 2.608 instituições de educação superior, sendo 2.306 privadas e 302 públicas. Ou seja, 76% das universidades no país são pagas.

Desse modo, a organização financeira deve ser considerada uma prioridade. Tendo em vista que, que a chance do jovem precisar pagar seus estudos, é muito grande. 

Pensando nisso, Felipe Chanes, gerente de controladoria do Pravaler, maior plataforma de soluções financeiras para educação do Brasil, separou 5 dicas de como gerenciar suas finanças de uma maneira descomplicada.

1 – Planeje as finanças

Em primeiro lugar, é fundamental um planejamento de como utilizar o dinheiro. Portanto, vale a pena, traçar um limite de gastos mensais, comprar apenas o necessário e organizar para os investimentos futuros.

“Se você toma consciência de onde quer chegar, fica mais fácil, e motivador, fazer escolhas que podem resultar em economia de dinheiro. Como controlar os gastos no cartão de crédito, ou diminuir o uso de aplicativos de mobilidade, refeições, etc.”, explica Felipe Chanes.

2 – Tenha comprometimento

Em suma, para o estudante alcançar seu objetivo de organização financeira, é fundamental ser responsável com as suas finanças, para não se endividar. Logo, é importante adaptar a rotina e os gastos de forma consciente.

Além disso, é de extrema importância o jovem saber seu orçamento e o limite dele, levando em conta que o comprometimento em atingir as metas

“A vida de um estudante traz gastos peculiares como compra de livros, cópias de documentos, transporte, etc. No dia a dia, estes gastos, seja pelo valor ou pela rotina, podem ser subestimados, e as pessoas acabam direcionando os recursos para outros fins, muitas vezes não essenciais”, comenta o gerente da Pravaler.

3 – Avalie todas as possibilidades

Ao traçar seu orçamento financeiro, é importante levar em conta, as adversidades que o jovem pode encontrar no meio do caminho, como demissão, desemprego, mudança de trabalho ou redução da renda.

Desse modo, seus recursos ficarão limitados, assim, para uma adaptação com a nova realidade, é necessário uma reavaliação nos gastos mensais, ou então, encontrar um complemento de renda, como atividades extras. Por exemplo, aulas particulares e trabalhos temporários.

5 dicas de educação e planejamento financeira para estudantes
Educação financeiras para jovens

4 – Use o tempo a seu favor

A propósito, com uma boa organização financeira e investimentos certos, é possível ter uma reserva financeira que assegure o período dos estudos. Para isso, é fundamental se programar com as reservas mensais dedicadas aos estudos.

“Quanto mais tempo você tiver para economizar, menos precisará investir por mês. Existem diversas soluções financeiras disponíveis que podem ajudar neste desafio. Com o tempo, os resultados surgirão. Fazendo a diferença no dia a dia e podendo até contribuir para que você tenha um aumento na sua renda mensal como resultado de uma nova formação”, finaliza Felipe.

5 – Ter aliados para o pagamento dos estudos

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Pravaler, durante a pandemia, a dificuldade financeira foi o principal motivo para a realização de financiamento e trancamento dos cursos superiores. Uma vez que, muitos jovens não contam com o apoio ou bolsa, outros tiveram adversidades, como desemprego e redução da renda familiar.

Por essa razão, o Praveler já ajudou cerca de 180 mil estudantes a transformar suas vidas por meio da educação. Portanto, esses jovens estudantes contam com produtos sem juros, que permitem pagar valores referentes à metade da mensalidade no dobro do tempo sem o risco de acúmulo dos boletos.

“O financiamento dos estudos pode ser visto como um investimento, pois a médio prazo colabora com o aumento da renda. Além de transformar a sua vida e a de todos que fazem parte do seu meio”, explica Felipe Chances, gerente de controladoria do Pravaler.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais