A Planner reajustou o preço-alvo da Vale (VALE3) em seu portfólio, que passou de R$ 61,84 para R$ 75 com potencial de 21% e recomendação de compra.

Conforme a Planner, o relatório de Produção e Vendas da Vale no terceiro trimestre de 2020 trouxe números fracos na comparação com o mesmo período do ano passado, mas um avanço expressivo em relação ao segundo trimestre de 2020.

Vale

Os números

Os números da produção de minério de ferro indicam que a faixa mais baixa do guidance para 2020 (310 milhões de toneladas) pode ser atingida. Em pelotas, a faixa média das estimativas da empresa poderá ser facilmente superada.

No terceiro trimestre de 2020, mais uma vez o volume vendido ficou muito abaixo daquele que foi produzido, indicando a constituição de estoques elevados, que podem ser desovados no quarto trimestre de 2020 e no início de 2021.

“Uma boa notícia para a Vale tem sido os elevados preços do minério de ferro, cuja média no terceiro trimestre de 2020 ficou 29,7% acima do trimestre anterior e 14,3% maior que no terceiro trimestre de 2019. Com tudo isso, atualizamos nossas projeções para a empresa, elevando o Preço Justo da ação. É importante destacar que em 2020 esta ação já subiu 20,9%, enquanto o Ibovespa teve uma desvalorização de 13,1%”, informou.

VALE3: análise

  • Crescimento do volume de minério produzido: No 3T20, a produção cresceu em minério, com o volume atingindo 88,7 milhões, 2,3% maior que no mesmo trimestre do ano passado. Isso ocorreu devido às boas condições climáticas, aos recordes de produção no Sistema Norte (destaque para o S11D) e também com o bom desempenho dos Sistemas Sul e Sudeste, beneficiados pela normalização dos complexos de Itabira e Timbopeba;
  • Vendas em queda: Em minério de ferro, foram vendidas 65,8 milhões de toneladas no 3T20, 11,2% menos que no 3T19. Interessante notar que o volume produzido foi mais elevado que o vendido numa quantidade ainda maior que no trimestre anterior. No 2T20, a produção superou as vendas em 13,0 milhões de toneladas e no 3T20 este volume subiu para 22,9 milhões t. Como no 2T20, o elevado volume de produto em trânsito na cadeia de suprimento foi o responsável por esta diferença. Em nove meses, a produção de minério superou as vendas em 43,8 milhões de toneladas;
  • Recuperação da capacidade produtiva: Também no Relatório de Produção e Vendas do 3T20, a Vale informou acerca de evoluções muito positivas em projetos que vão elevar a produção em várias de suas operações. Estes aumentos são importantes para reconstituir a capacidade de produção anterior ao acidente de Brumadinho (385 milhões t/ano), avançando para 400 milhões de t/ano nos próximos dois anos;
  • Estimativas de produção devem ser atingidas: Na divulgação do Relatório de Produção e Vendas do 2T20, a Vale confirmou suas projeções para os volumes a serem produzidos em 2020. Para minério de ferro, a produção deve ficar na faixa entre 310 e 330 milhões de toneladas, mas a empresa insistiu que o número mínimo da faixa é o cenário mais provável. A produção de minério entre janeiro e setembro de 2020 foi de 215,9 milhões de toneladas, sendo que para a faixa mínima do guidance (310 milhões t.), faltam ainda ser produzidas 94,1 milhões t. Este volume que deverá ser produzido no 4T20 é 6,1% maior que o número do 3T20. No Relatório do 3T20, a Vale informou que sua produção diária de minério tem ficado em torno de 1 milhão de toneladas, o que seria consistente com o volume esperado para o 4T20.

Veja a VALE3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: