O BlackRock Investment Institute tem uma postura “subponderada” em ações de mercados emergentes, já que muitas dessas economias ainda estão lutando contra a disseminação do coronavírus , disse um estrategista à CNBC nesta quinta-feira (3).

As ações nos mercados emergentes ficaram abaixo dos preços globais das ações. O MSCI Emerging Markets Index subiu cerca de 0,4% até agora este ano – muito atrás dos ganhos de 5,8% no MSCI World Index durante o mesmo período, de acordo com dados da Refinitiv.

“Em termos gerais, taticamente, continuamos um pouco cautelosos em relação ao EM”, disse Ben Powell, estrategista-chefe de investimentos para a Ásia-Pacífico do BlackRock Investment Institute, à “Squawk Box Asia”.

“Francamente, isso ocorre porque o vírus ainda está extremamente presente e as questões em torno do desafio da saúde e da resposta da política econômica ainda não foram, infelizmente, resolvidas”, disse ele.

BlackRock diz que está ‘abaixo do peso’ em ações em mercados emergentes

BlackRock: casos cumulativos

Os mercados emergentes relataram alguns dos maiores números de casos cumulativos de coronavírus em todo o mundo, de acordo com dados compilados pela Universidade Johns Hopkins. Quatro dos cinco países com os maiores surtos – Brasil, Índia, Rússia e Peru – são mercados emergentes, mostraram os dados.

Liderado pela China, o mundo emergente está desfrutando de uma recuperação econômica mais rápida e mais forte do que as economias avançadas, um desenvolvimento que ainda não é descontado pelo mercado.

Clara preferência

Mas nem todos os mercados emergentes se sairão mal, acrescentou Powell. Ele explicou que tem uma “clara preferência” pelos mercados da China e do Norte da Ásia, como a Coréia do Sul e Taiwan – principais exportadores que estão se beneficiando de uma recuperação no ciclo de tecnologia. Todos os três mercados fazem parte do MSCI Emerging Markets Index.

O Pictet Asset Management possui uma visão diferente. O investidor suíço disse em sua previsão de setembro que elevou as ações dos mercados emergentes de “neutras” para “sobreponderadas”.

Ele explicou que a China, tendo emergido do surto de coronavírus anteriormente, liderará a recuperação econômica entre os mercados emergentes. Essas economias também têm sido mais resilientes do que o esperado, e um dólar americano fraco provavelmente aumentará suas exportações e reduzirá os custos de financiamento de sua dívida, acrescentou.

“As ações dos mercados emergentes estão bem posicionadas para superar a maioria de seus pares desenvolvidos e, portanto, elevamos a classe de ativos para sobreponderação”, disse a empresa no relatório.

“Liderado pela China, o mundo emergente está desfrutando de uma recuperação econômica mais rápida e mais forte do que as economias avançadas, um desenvolvimento que ainda não é descontado pelo mercado.”

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: