AES Tietê (TIET11) anuncia direito de recesso sobre ações ordinárias

A AES Tietê (TIET11) anunciou o direito de recesso sobre ações ordinárias, conforme fato relevante encaminhado ao mercado na terça-feira (2).

De acordo com o documento, trata-se de incorporação das ações de emissão, de forma que o direito de recesso poderá ser exercido pelos acionistas dissidentes que assim desejarem até o dia 2 de março de 2021.

O acionista detentor de UNITs que desejar exercer o direito de recesso sobre as ações ordinárias deverá solicitar, por meio de seu respectivo agente de custódia, o cancelamento (desmembramento) das UNITs de sua titularidade, para que ocorra a entrega das ações por elas representadas em sua conta de custódia.

A Companhia manterá seus acionistas e o mercado em geral atualizados sobre eventuais novas informações a respeito dos temas tratados neste aviso.

A companhia é uma das mais eficientes geradoras de energia elétrica do Brasil, pertencente ao grupo AES Brasil atuante principalmente no Estado de São Paulo.

AES Tietê (TIET11): lucro líquido avança 235,7% no 2TRI
AES Tietê (TIET11): lucro líquido avança 235,7% no 2TRI

3TRI20

A AES Tietê registrou lucro líquido de R$ 51,1 milhões no terceiro trimestre de 2020, queda de 47,3% em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com a companhia, houve um impacto negativo de uma despesa com atualização monetária do passivo de risco hidrológico (GSF), que somou R$ 100,7 milhões.

O resultado financeiro do trimestre foi negativo em R$ 184,7 milhões, enquanto no ano anterior havia sido negativo em R$ 65,7 milhões.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) foi de R$ 311,7, avanço de 22,3% na comparação anual. Segundo o release de resultados, o resultado do Ebitda se deve ao aumento da margem líquida consolidada em todos os ativos da companhia.

Já a receita líquida caiu 0,3% e somou R$ 509,4 milhões.

Volume de energia bruta

O volume total de energia bruta gerada pelas usinas hidráulicas da AES Tietê somou 2.382,0 GWh no trimestre, 16,1% inferior ao mesmo período de 2019. No segmento eólico, a energia bruta gerada foi de 508,6 GWh, queda de 6,9% na comparação anual. Ao mesmo tempo, o segmento de fonte solar teve geração bruta de 153,5 GWh no trimestre, alta de 54,3% ante o mesmo período de 2019.

A AES Tietê encerrou o trimestre com dívida líquida de R$ 2,8 bilhões e alavancagem (dívida líquida sobre Ebitda ajustado) de 2,3 vezes. O resultado é um pouco melhor do que o visto um ano antes, quando a dívida líquida somava R$ 3 bilhões e a alavancagem era de 2,9 vezes.

As despesas operacionais somaram R$ 76,4 milhões no terceiro trimestre, em linha com o reportado no mesmo intervalo de 2019.

No seu documento de resultados, a AES Tietê informou que pretende investir R$ 1,4 bilhão entre 2020 e 2024. Os recursos serão destinados para modernização e manutenção de seus ativos e à expansão, com destaque para o início da construção do Complexo Eólico Tucano.

AES Tietê (TIET11) anuncia direito de recesso sobre ações ordinárias

Veja TIET11 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais