Vale a pena investir nos BDRs da XP Investimentos (XPBR31)?

Na última semana, a XP passou a negociar seus BDRs na Bolsa de Valores brasileira

Na última semana, os Brazilian Depositary Receiptd (BDRs) da XP passaram a ser negociados na Bolsa de Valores brasileira. Sob o ticker XPBR31, esse tipo de investimento representa títulos de ações listadas na Nasdaq (Bolsa dos EUA) que podem ser movimentados no Brasil.

Após a estreia do ativo, que teve peso inicial de 1,134%, a B3 destacou seu orgulho em fazer parte da história do banco de investimentos.

“Sempre que isso acontece estamos cumprindo nosso papel que é o de conectar e aproximar as boas histórias dos investidores. Esse encontro gera desenvolvimento, crescimento econômico e benefício para toda a sociedade. A XP contribui com isso todos os dias”, disse Gilson Finkelsztain, presidente da B3.

O que são BDRs?

Em resumo, os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) são certificados que caracterizam ações emitidas através de empresas no exterior. No entanto, esses ativos são negociados na Bolsa de Valores brasileira. 

Portanto, os investidores que adquirem um BDR não compram diretamente as ações de empresas no exterior. Pelo contrário, eles investem em títulos representativos dos papéis.

Posto isto, as ações só existem, efetivamente, lá fora. Além disso, é necessário que elas fiquem depositadas em alguma instituição financeira. Assim, essas instituições, chamadas de depositárias, auxiliam todo o funcionamento e ficam responsáveis por emitir os BDRs no país.

Vale a pena investir?

Os novos BDRs da XP Investimentos dão acesso a recibos que representam ações da XP Inc., negociadas na Bolsa Nasdaq dos Estados Unidos. Hoje em dia, a B3 conta com a participação de mais 800 BDRs disponíveis para pessoas físicas.

Uma das vantagens que os BDRs oferecem é que o investidor negocia em uma companhia que tem ações negociadas fora do Brasil. Logo, não arcam com custos relacionados à remessa de recursos para o exterior.

“A expectativa em relação aos BDRs da XP é alta e positiva, porém, diferente do que era quando ela estreou na Bolsa norte-americana, em 2019, hoje o cenário é outro. Aqui no Brasil, muitas pessoas estão assustadas com o que está acontecendo na renda variável”, afirma Ricardo Maila Hiraki, CEO da Plano Fintech, empresa de planejamento financeiro.

O que o investidor deve observar?

Vale destacar que os investidores interessados precisam observar pontos além dos BDRs. Por exemplo, se a companhia se encontra bastante sólida, se ampliou o seu portfólio de produtos e obteve bons resultados, como lucros e receitas elevadas.

Sendo assim, no segundo trimestre deste ano, a XP alcançou um lucro líquido de R$ 1 bilhão. Isto é, um crescimento de 83% em relação ao mesmo trimestre de 2020, e de 22% em relação ao primeiro trimestre do ano.

Vale a pena investir no BDR da XP Investimentos?
XP Investimentos lança BDRs na B3

Separação com o Itaú 

Na primeira semana de outubro, a briga entre o Itaú (ITUB3 e ITUB4) e a XP Investimentos chegou ao fim. Em votação, ambas as empresas aprovaram a incorporação da XPart (fatia que pertencia ao Itaú) pela corretora. Com a mudança, a parte será extinta.

O acordo que rompeu com o relacionamento das instituições financeiras se deu após uma briga pública entre os seus fundadores. A divisão já havia sido aprovada pelo Federal Reserve (banco central americano). Portanto, para concluir a operação, faltava apenas o aval da autoridade monetária brasileira.

Depois da autorização do Banco Central, a XPart se torna parte dos acionistas junto com a XP Investimentos, sendo assim diluída. Isso dá a ela os mesmos direitos e obrigações atribuídos anteriormente ao Itaú Unibanco.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais